Dois livros ilustrados portugueses distinguidos na Feira do Livro de Bolonha

“Plasticus Maritimus” e “Troca-Tintas” receberam uma menção na categoria de melhor livro de não ficção para a infância e juventude e uma menção na categoria “Opera Prima” respetivamente.

Dois livros ilustrados portugueses distinguidos na Feira do Livro de Bolonha

Dois livros ilustrados portugueses distinguidos na Feira do Livro de Bolonha

“Plasticus Maritimus” e “Troca-Tintas” receberam uma menção na categoria de melhor livro de não ficção para a infância e juventude e uma menção na categoria “Opera Prima” respetivamente.

Lisboa, 11 fev 2020 (Lusa) – Os livros ilustrados portugueses “Plasticus Maritimus” e “Troca-Tintas” foram distinguidos pela Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, marcada para março em Itália, anunciou hoje a organização.

“Plasticus Maritimus, uma espécie invasora”, da bióloga Ana Pêgo e da escritora Isabel Minhós Martins, ilustrado por Bernardo P. Carvalho, recebeu uma menção na categoria de melhor livro de não ficção para a infância e juventude.

“Troca-Tintas”, de Gonçalo Viana, obteve uma menção do júri na categoria de “Opera Prima”.

Anualmente, a Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha distingue os melhores livros editados em todo o mundo, em diferentes categorias, como ficção, não ficção e, pela primeira vez este ano, banda desenhada. Nesta edição o júri analisou mais de 1.800 livros de 41 países.

Sobre “Plasticus Maritimus, uma espécie invasora”, o júri destaca a variedade de técnicas e “o formato único” deste guia de campo sobre ativismo e criatividade.

Editado pela Planeta Tangerina, “Plasticus Maritimus” é um livro informativo sobre meio ambiente e um guia de exploração, para os leitores que queiram também ser mais ativos na defesa da natureza.

Inspirada na nomenclatura científica que identifica as espécies da natureza, a bióloga Ana Pêgo criou em 2015 um bilhete de identidade para designar a presença de plástico nos oceanos – Plasticus Maritimus.

A partir daí, desenvolveu todo um trabalho de consciencialização para o problema, com a realização de oficinas para crianças, exposições com o plástico recolhido em praias e partilha de informações com outros ativistas.

Na obra explica-se, por exemplo, que um ‘beachcomber’ é alguém que recolhe lixo nas praias e se torna num “coleccionador que se interessa pela origem e pela história dos objetos que encontra”.

Há ainda dados estatísticos sobre a vida na Terra e sobre poluição – por exemplo, uma garrafa de plástico demora 450 anos a degradar-se -, é dado um enquadramento histórico sobre a produção de plástico e uma cronologia sobre “coisas importantes que já aconteceram entre pessoas e oceanos”.

As autoras deixam ainda conselhos práticos para uma ‘saída de campo’, para recolha de lixo, e enumeram tipos de ‘plasticus maritimus’ comuns e raros que se encontram nas praias, como beatas de cigarro, palhinhas, cotonetes, pequenos brinquedos, moedas e lancetas de diabéticos.

Para Isabel Minhós Martins e Bernardo P. Carvalho, este é um novo reconhecimento por parte da feira, uma vez que, em 2019, o livro “Atlas das viagens e dos exploradores”, assinado por ambos, foi eleito o melhor de não ficção.

“Troca-Tintas”, distinguido no prémio para primeiras obras, é elogiado pelo júri pelo estilo “fresco, distinto e ousado, conseguido de forma impressiva para uma estreia”.

Com selo da Orfeu Negro, “Troca-Tintas” é um livro para a infância sobre a perceção da realidade, quando se mudam as cores habituais das paisagens e dos objetos.

A narrativa segue dois amigos num mundo às avessas, em que as árvores têm a copa branca e as nuvens são verdes, numa paisagem desarrumada que baralha as pessoas.

O livro assinala a estreia de Gonçalo Viana como autor em nome próprio – assinado a ilustração e o texto -, depois de ter ilustrado “Os livros do rei” e “Parece um pássaro”, ambos de David Machado, “O toiro azul”, de Manuela Costa Ribeiro, e “Esqueci-me como se chama”, de Daniil Harms.

Formado em Arquitetura, Gonçalo Viana dedica-se atualmente em exclusivo à ilustração, tanto para imprensa portuguesa e estrangeira como para álbum ilustrado. Em 2008, Gonçalo Vianan recebeu o Grande Prémio Stuart de Desenho de Imprensa.

“Troca-Tintas” já serviu de inspiração para o espectáculo “A Árvore Branca”, criado e interpretado por Raimundo Cosme para crianças pré-leitoras, e que está em cena até domingo no teatro Lu.Ca, em Lisboa, seguindo depois em itinerância por outras cidades.

A 57.ª Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha decorrerá de 30 de março a 02 de abril.

Em 2019, o livro “Atlas das viagens e dos exploradores”, de Isabel Minhós Martins e Bernardo P. Carvalho, foi eleito o melhor de não ficção pela feira.

SS/(JRS) // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS