Dióxido de enxofre de vulcão de La Palma atinge Península Ibérica

Uma nuvem de dióxido de enxofre emitido pela erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, Espanha, atingiu a Península Ibérica e deverá estar na atmosfera até sexta-feira, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Dióxido de enxofre de vulcão de La Palma atinge Península Ibérica

Dióxido de enxofre de vulcão de La Palma atinge Península Ibérica

Uma nuvem de dióxido de enxofre emitido pela erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, Espanha, atingiu a Península Ibérica e deverá estar na atmosfera até sexta-feira, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Usando previsões do modelo do Serviço de Monitorização Atmosférica do programa de observação por satélite europeu Copernicus, a “intrusão de dióxido de enxofre” está acima dos 3.000 metros de altitude, “não afetando por isso as concentrações deste gás à superfície”.

A concentração máxima do gás deverá atingir 46 microgramas por quilograma a 6.000 metros de altitude, prevê o instituto, que “acompanha de perto a evolução da situação”, segundo uma nota emitida na terça-feira.

Produto comum das erupções vulcânicas, o dióxido de enxofre costuma encontrar-se em concentrações pequenas na atmosfera. É tóxico quando inalado.

A lava do vulcão de La Palma, que entrou em erupção no dia 19 de setembro, ocupa atualmente 656 hectares e já afetou mais de 1.500 construções naquela ilha do arquipélago das Canárias, onde 20 terramotos foram registados nas últimas horas.

Segundo as medições do Copernicus, a lava ocupa 656 hectares e já afetou 1.541 construções, das quais 1.458 foram destruídas.

APN(FPB) // ZO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS