CUF passa de lucros a prejuízos de 24 ME em 2020 penalizada por pandemia e PPP

O grupo CUF registou prejuízos de 23,8 milhões de euros em 2020, face a lucros de 29 milhões de euros em 2019, penalizado pela redução da atividade no primeiro semestre e pelas PPP, segundo um comunicado hoje divulgado.

CUF passa de lucros a prejuízos de 24 ME em 2020 penalizada por pandemia e PPP

CUF passa de lucros a prejuízos de 24 ME em 2020 penalizada por pandemia e PPP

O grupo CUF registou prejuízos de 23,8 milhões de euros em 2020, face a lucros de 29 milhões de euros em 2019, penalizado pela redução da atividade no primeiro semestre e pelas PPP, segundo um comunicado hoje divulgado.

Na nota, a empresa indicou que, apesar de o segundo semestre de 2020 se ter traduzido num crescimento da atividade face ao período homólogo, “tendo em conta a redução da atividade registada no 1.º semestre, que gerou um impacto significativo nas contas consolidadas da CUF, o desempenho global do ano é negativo”.

“O Hospital Vila Franca de Xira, Parceria Público-Privada (PPP) gerida pela CUF, foi também fortemente impactada pela pandemia, tendo o resultado operacional do segmento público sido negativo em 20,7 milhões de euros”, justificou o grupo, acrescentando que a CUF “apresenta, por isso, um resultado líquido consolidado negativo de 23,8 milhões de euros”.

Os resultados do ano passado foram também prejudicados “pela constituição de perdas por imparidade e de provisões relacionadas com os contratos das PPP [Parcerias Público-Privadas] do Hospital Vila Franca de Xira e do Hospital de Braga (13,7 milhões de euros)”, avançou o grupo.

No ano passado, os rendimentos operacionais consolidados da CUF “atingiram os 533,5 milhões de euros, o que representa uma redução de 24,0% face ao período homólogo”, lê-se na mesma nota, que ressalva que “excluindo a atividade da PPP de Braga e os seus efeitos extraordinários em 2019, a diminuição dos rendimentos operacionais face a 2019 é de 6,8%, refletindo o impacto da pandemia de covid-19”.

Por sua vez, o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 44,3 milhões de euros, uma redução de 54,7% face a 2019 “devido à quebra da atividade e manutenção da capacidade total disponível assim como da totalidade dos recursos humanos (não tendo recorrido a qualquer lay-off)”, referiu o grupo.

A empresa deu ainda conta da redução da atividade da prestação privada em praticamente todos os indicadores assistenciais, sendo, “no entanto, de destacar a recuperação na generalidade destes indicadores a partir de junho”, com os rendimentos operacionais na rede CUF a atingirem os 459,8 milhões de euros no exercício de 2020, “diminuindo 6,2% face ao período homólogo”, indicou o grupo.

No caso da prestação pública (Hospital de Vila Franca de Xira), “os rendimentos operacionais decresceram 11,0% e o EBITDA diminuiu 10,0 milhões de euros, atingindo o valor negativo de 3,6 milhões de euros”, lê-se na mesma nota.

A dívida bruta financeira da CUF registou “um valor de 577,1 milhões de euros no final de 2020, representando um aumento de 42,8 milhões de euros face ao final de 2019, o que se explica em grande parte pelo recurso a financiamentos no âmbito da expansão da rede CUF e a linhas de financiamento de curto-prazo obtidas, de acordo com as necessidades de tesouraria no contexto da pandemia”, adiantou a empresa.

O grupo recordou ainda que “em março de 2020 foi oficializado um contrato de financiamento com o Bank of China no valor de 33,0 milhões de euros”, tendo, com esta operação, concretizado a sua estratégia de refinanciamento.

O total de investimento realizado pela CUF em 2020 foi de 96,8 milhões de euros, tendo o investimento de expansão totalizado 67,4 milhões de euros.

 

ALYN // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS