Criança sugada em piscina de hotel sobrevive mas fica sem intestinos

Um acidente grave numa piscina desprendeu órgãos e pele a uma criança. Já adolescente, precisa de três milhões de euros para cirurgias urgentes.

Criança sugada em piscina de hotel sobrevive mas fica sem intestinos

Um acidente grave numa piscina desprendeu órgãos e pele a uma criança. Já adolescente, precisa de três milhões de euros para cirurgias urgentes.

Salma Bashir tinha cinco anos quando a sua vida mudou radicalmente. Estava de férias com a família no Egito e teve um acidente na piscina do hotel. A mãe estava a vigiar o irmão mais velho na piscina de adultos e a menina estava na de criança, onde tinha pé e não corria risco de afogamento. Contudo, ficou presa por uma válvula de sucção. A pressão sofrida foi tão forte que pele e órgãos da zona abdominal se desprenderam. «Só me sentei na piscina e depois deixei de me conseguir mexer. A pressão era muito grande. O meu pai tentou tirar-me, mas não conseguiu. Precisou de pedir ajuda», explicou Salma.

LEIA DEPOIS
Patrícia Silva detida após agredir bebé de quatro meses [vídeo]

Mãe da criança pensou que «o intestino desprendido era tecido do fato de banho»

Em entrevista a um canal de televisão americano da Pensilvania, localidade onde mora a família, a mãe, Dena, recordou o dia da tragédia. «Ela tinha um fato de banho vermelho e no início pensei que o intestino delgado que se tinha desprendido era o tecido do fato de banho. Só quando a transportavam é que percebi que um socorrista levava o intestino nas mãos e fora do corpo». Salma Bashir foi operada e a cirurgia salvou-lhe a vida. Um ano depois do acidente, foi submetida a um transplante de intestino delgado, mas o seu corpo rejeitou o novo órgão e os médicos tiveram de extrair o intestino grosso e a vesícula biliar.

Salma não pode comer sólidos e vive com uma bolsa de colostomia

Salma Bashir, agora com 16 anos, não pode comer sólidos e vive com uma bolsa de colostomia. O seguro de família não cobre as cirurgias de que necessita para poder voltar a alimentar-se e ganhar qualidade de vida. «O mais sinto falta é de poder mastigar e saborear comida. Apesar de me alimentar com vitaminas e tudo o que preciso por sonda, tenho a sensação constante de fome», disse Salma. A família Bashir precisa de três milhões de euros para as cirurgias necessárias e que envolvem novo transplante de intestino delgado e grosso.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para sábado, 15 de junho
Só 7% das praias portuguesas estão limpas e livres de poluição
Cabo Verde eletrocuta cães com cabo de 380 volts introduzido no ânus

Impala Instagram


RELACIONADOS