Cozinha do Hospital das Caldas da Rainha deverá reabrir até ao final de fevereiro

A cozinha do Hospital das Caldas da Rainha, encerrada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica há mais de um ano, deverá reabrir até ao final de fevereiro, estimou hoje a administração do Centro Hospitalar do Oeste (CHO).

Cozinha do Hospital das Caldas da Rainha deverá reabrir até ao final de fevereiro

Cozinha do Hospital das Caldas da Rainha deverá reabrir até ao final de fevereiro

A cozinha do Hospital das Caldas da Rainha, encerrada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica há mais de um ano, deverá reabrir até ao final de fevereiro, estimou hoje a administração do Centro Hospitalar do Oeste (CHO).

A reabertura da zona de confeção de alimentos “é uma preocupação que se pretende que seja resolvida o mais rápido possível”, disse à agência Lusa Elsa Baião, presidente do Conselho de Administração (CA) do CHO, estimando que a reabertura da cozinha se concretize “até ao final de fevereiro”.

A cozinha do Hospital das Caldas da Rainha foi encerrada a 14 de dezembro de 2017 pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), que na altura justificou a “suspensão de laboração” da zona de confeção de refeições com a “falta de condições estruturais do local, bem como a deteção de outras inconformidades”.

Desde então as refeições, “quer para os doentes quer para os profissionais, vêm do exterior”, afirmou Elsa Baião, sublinhando que, apesar de a comida ser fornecida por uma empresa certificada, “essa solução é um problema que compromete a qualidade das refeições” e que motivou já abaixo-assinados de utentes descontentes com a alimentação fornecida.

Após a inspeção da ASAE, o anterior conselho de administração determinou a realização de obras, numa intervenção a realizar ao abrigo de um protocolo entre o CHO e o SUCH (Serviço de Utilização Comum dos Hospitais) e com um custo estimado de 85 mil euros.

As obras, lançadas no dia 27 de dezembro de 2017, deveriam ter uma duração de 45 dias e incidir na reparação do pavimento, paredes e tetos e na substituição de alguns materiais.

A intervenção acabou, no entanto, por não ser considerada suficiente pela ASAE que, em nova fiscalização, em meados deste ano, manteve a suspensão da confeção das refeições naquele local.

Já na vigência da atual administração, em funções desde setembro, “foi retomado o processo para a solução dos problemas e a conclusão da obra”, visando “pedir nova inspeção da ASAE e poder reabrir a cozinha no início deste ano”.

Porém, acrescentou a presidente do CA, “uma rutura na canalização voltou a atrasar todo o processo”, abrigando a que o hospital tenha agora que “adjudicar a uma empresa a obra de reparação”.

A estimativa é, ainda assim, que “tudo esteja concluído muito brevemente” e que até ao final de fevereiro as refeições “possam ser confecionadas internamente”, concluiu Elsa Baião.

O Hospital das Caldas da Rainha está integrado no Centro Hospitalar do Oeste, juntamente com as unidades de Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã, e de parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estevão das Galés e Venda do Pinheiro).

DYA // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS