Covid-19: Vírus já matou 63.437 pessoas e infetou mais de 1,16 milhões no mundo

A pandemia causada pelo novo coronavírus já matou 63.437 pessoas em todo o mundo e infectou mais de 1,1 milhão, segundo um balanço divulgado no sábado pela agência AFP.

Covid-19: Vírus já matou 63.437 pessoas e infetou mais de 1,16 milhões no mundo

Covid-19: Vírus já matou 63.437 pessoas e infetou mais de 1,16 milhões no mundo

A pandemia causada pelo novo coronavírus já matou 63.437 pessoas em todo o mundo e infectou mais de 1,1 milhão, segundo um balanço divulgado no sábado pela agência AFP.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa junto a fontes oficiais dos países, desde que a covid-19 surgiu na China, em dezembro passado, já foram diagnosticados oficialmente 1.169.210 casos de infeção em 190 países e territórios.

No entanto, a AFP alerta que esse número não reflete o real número de infetados porque uma grande quantidade de países só realiza testes em pessoas que precisem de tratamento hospitalar. 

Entre esses 1.169.210 casos de infeção, pelo menos, 219.000 foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

Depois da contagem feita na sexta-feira, às 19:00 GMT (20:00 de Portugal), foram registados 5.964 novas mortes e 86.745 novos casos em todo o mundo.

Os países onde ocorrem mais mortes nas últimas 24 horas são os Estados Unidos, com 1.399 novos óbitos, a França com 1.053 (número que inclui as mortes nas casas de repouso anunciadas hoje) e Espanha, com 809.

A Itália, que registou a primeira morte ligada ao covid-19 no fim de fevereiro, tem 15.362 mortes e 124.632 casos de infeção, tendo as autoridades italianas dado 20.996 casos como curados. Hoje, foram anunciadas mais 681 mortes e 4.805 novos casos.

Depois da Itália, os países mais afetados são a Espanha, com 11.744 mortes e 124.736 casos, os Estados Unidos, com 8.098 mortes (297.575 casos), e a França com 7.560 mortes (89.953 casos) e o Reino Unido com 4.313 mortes (41.903 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, registou um total de 81.639 casos (19 novos entre sexta-feira e sábado), incluindo 3.326 mortes (quatro novas) e 76.755 casos curados.

Em número de casos, os Estados Unidos são o país mais afetado, com 297.575 infeções, 8.098 mortes e 10.032 casos dados como curados.

Desde sexta-feira às 19:00 GMT (20:00 de Portugal), Angola, Suriname, Kuwait, Geórgia e Libéria anunciaram as suas primeiras mortes relacionadas o vírus.

A Europa totalizava às 19:00 (20:00 de Portugal) de sábado, 46.033 mortes e 627.127 casos, os Estados Unidos e Canadá 8.342 mortes (311.447 casos), a Ásia 4.137 mortes (116.129 casos), o Médio Oriente 3.623 mortes (71.739 casos), a América Latina e as Caraíbas 891 mortes (28.166 casos), África 375 mortes (8.129 casos) e Oceânia 36 mortes (6.480 casos).

Este balanço foi realizado através de dados recolhidos pela AFP junto de autoridades dos países e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em Portugal, segundo o balanço feito no sábado pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 266 mortes, mais 20 do que na véspera (+8,1%), e 10.524 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 638 em relação a sexta-feira (+6,5%).

Dos infetados, 1.075 estão internados, 251 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 75 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado na quinta-feira na Assembleia da República.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 de março o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

 

ARA // MCL

Lusa / fim

 

 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS