Universidade de Oxford anuncia primeiro tratamento para doentes de covid-19

Universidade de Oxford, que desenvolve também a vacina contra a covid-19, apresentou ensaio clínico animador que duplica a velocidade de recuperação dos pacientes e quase anula sintomas graves.

Universidade de Oxford anuncia primeiro tratamento para doentes de covid-19

Universidade de Oxford anuncia primeiro tratamento para doentes de covid-19

Universidade de Oxford, que desenvolve também a vacina contra a covid-19, apresentou ensaio clínico animador que duplica a velocidade de recuperação dos pacientes e quase anula sintomas graves.

A Universidade de Oxford, no Reino Unido, anunciou um novo e promissor método para a recuperação de doentes de covid-19, baseada na inalação da proteína Beta-1.ª de Interferão que duplica as probabilidades de recuperação de pacientes e reduz o desenvolvimento de sintomas graves. O anúncio consta de um relatório publicado na revista científica The Lancet Respiratory Medicine.

LEIA DEPOIS
A comovente foto de despedida do casal de idosos que morreu vítima do novo coronavírus

Cerca de 1 em cada 5 pacientes com covid-19 que não receberam a proteína morreram

O ensaio clínico contou com a participação de 101 infetados pelo novo coronavírus. Os voluntários que inalaram a Beta-1.ª – diariamente ao longo de duas semanas – tornaram-se menos propensas ao desenvolvimento de sintomas graves, comparativamente com os que receberam placebo. Entre 11 e 50 pacientes que receberam placebo – aproximadamente pouco mais de 20 por cento – sofreram complicações graves associadas à covid-19 e necessitaram de recorrer a ventiladores ou morreram, 15 a 16 dias após a primeira dose.

Dos hospitalizados que inalaram a proteína, seis desenvolveram complicações graves, cerca apenas de 13 por cento. «Os resultados confirmam a crença de que o Interferão Beta-1.ª, fármaco amplamente conhecido e aprovado, terá potencial para restabelecer uma resposta imunitária nos pulmões», explica o autor do ensaio, Tom Wilkinson.

LEIA AGORA
Portugal ultrapassa os 200 mil infetados pelo novo coronavírus

Impala Instagram


RELACIONADOS