Covid-19: UE defende transparência e colaboração internacional na resposta a pandemias

A União Europeia pediu hoje “mais solidariedade e transparência” na partilha e distribuição de vacinas contra a covid-19, apelando ainda a todos os países para colaborarem num mecanismo internacional de prevenção e resposta a futuras pandemias.

Covid-19: UE defende transparência e colaboração internacional na resposta a pandemias

Covid-19: UE defende transparência e colaboração internacional na resposta a pandemias

A União Europeia pediu hoje “mais solidariedade e transparência” na partilha e distribuição de vacinas contra a covid-19, apelando ainda a todos os países para colaborarem num mecanismo internacional de prevenção e resposta a futuras pandemias.

“Esta crise sublinha a importância de responder rápida e eficazmente a emergências de saúde pública”, afirmou perante a Assembleia Mundial da Saúde por videoconferência a ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, a representar os países-membros por Portugal deter a presidência rotativa do Conselho da União Europeia.

Marta Temido sublinhou que o acesso equitativo às vacinas, terapias e meios de diagnóstico para a covid-19 “como um bem comum global” só se conseguirá com “maior solidariedade e transparência”.

Os países da União colocaram “mais de 40,5 mil milhões de euros” no mecanismo de partilha internacional de vacinas Covax.

“Somos, de longe, o maior contribuinte para o mecanismo Covax, incluindo partilha de doses [de vacinas] e apoiámos a distribuição de vacinas em países com necessidades humanitárias críticas e sistemas de saúde frágeis”, declarou Marta Temido.

Os países europeus, garantiu, continuam a defender o aumento “da capacidade de produção de produtos de saúde proporcionando um ambiente adequado” para isso, assente em “regulação, apoio à transferência de tecnologia e conhecimento, instalações regionais de fabrico e investigação”.

“Esta pandemia tem que mudar tudo. Somos chamados a começar de novo na prevenção sanitária global”, com “um possível instrumento internacional para evitar que uma crise destas volte a acontecer no futuro”, defendeu.

A União Europeia apresentou à reunião dos estados-membros da Organização Mundial de Saúde, que começou hoje, uma resolução em que o defende e propõe a aplicação dos Regulamentos Internacionais de Saúde e a criação de um mecanismo universal de avaliação da preparação e saúde.

A ministra apontou ainda “o impacto da pandemia em doenças não comunicáveis, incluindo o cancro, bem como doenças mentais, outras doenças infecciosas, resistência antimicrobiana e em muitos programas de saúde, incluindo vacinação, que compromete os avanços conseguidos na última década”.

Além dos estados-membros, Marta Temido falou ainda em nome dos estados candidatos Macedónia do Norte, Montenegro e Albânia, Bósnia e Herzegovina, e da Ucrânia, Moldávia e Geórgia, que apoiam a posição da União Europeia.

APN // HB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS