Covid-19: São Tomé vai receber vacinas para 20 por cento da população – Governo

São Tomé e Príncipe vai receber brevemente, “numa primeira fase”, vacinas contra a covid-19 para 20 por cento da população e os primeiros beneficiados serão pessoas de “grupos de risco”.

Covid-19: São Tomé vai receber vacinas para 20 por cento da população - Governo

Covid-19: São Tomé vai receber vacinas para 20 por cento da população – Governo

São Tomé e Príncipe vai receber brevemente, “numa primeira fase”, vacinas contra a covid-19 para 20 por cento da população e os primeiros beneficiados serão pessoas de “grupos de risco”.

São Tomé, 15 dez 2020 (Lusa) – São Tomé e Príncipe vai receber brevemente, “numa primeira fase”, vacinas contra a covid-19 para 20 por cento da população e os primeiros beneficiados serão pessoas de “grupos de risco”, anunciou hoje o primeiro-ministro são-tomense.

Jorge Bom Jesus, que falava à imprensa no final de um Conselho de Ministros presidido pelo chefe de Estado, Evaristo Carvalho, garantiu que esses 20% de vacinas contra o novo coronavírus serão financiadas pelos parceiros bilaterais.

“Nós pertencemos à plataforma COVAX, onde um grupo de países beneficiam de financiamento de parceiros multilaterais. Por aquilo que nos dizem, teremos um financiamento, em termos de cobertura, para 20 por cento da nossa população”, disse Jorge Bom Jesus.

De acordo com o governante, os primeiros beneficiados “serão alguns grupos de risco” onde se incluem “todo o pessoal da saúde, os idosos e possivelmente os militares”.

O Governo conta também adquirir mais vacinas com o apoio financeiro dos parceiros bilaterais tradicionais, entre os quais a Organização Mundial da Saúde (OMS) para estender a aplicação a toda a população.

“Além desta dimensão multilateral, naturalmente que com os nossos parceiros bilaterais veremos como poderemos adquirir a parte da vacina que esta plataforma não poderá cobrir”, referiu Jorge Bom Jesus.

De acordo com o governante, “os técnicos estão no terreno num trabalho conjugado entre o Ministério da Saúde e a OMS” para que o país não fique “à margem destas vacinas”.

O executivo são-tomense pretende “a partir do próximo ano sair desta situação de imprevisibilidade do impacto da doença” para poder começar a organizar e relançar a nossa economia”.

Jorge Bom Jesus manifestou esperança de que com a vacina será relançado o turismo, uma das principais fontes de rendimento do país.

“Nós somos muito dependentes do turismo e com a vacina abrirão novas esperanças”, explicou o chefe do executivo.

São Tomé e Príncipe regista atualmente 17 mortes causadas pela covid-19 e 1.009 infeções pelo novo coronanvírus.

MYB // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS