Covid-19: São Tomé passa para estado de alerta e Príncipe mantém-se em calamidade

O Governo são-tomense decretou a situação de alerta em São Tomé durante 30 dias e decidiu manter o estaso de calamidade na ilha do Príncipe nos próximos 15 dias, a partir deste sábado, devido à covid-19.

Covid-19: São Tomé passa para estado de alerta e Príncipe mantém-se em calamidade

Covid-19: São Tomé passa para estado de alerta e Príncipe mantém-se em calamidade

O Governo são-tomense decretou a situação de alerta em São Tomé durante 30 dias e decidiu manter o estaso de calamidade na ilha do Príncipe nos próximos 15 dias, a partir deste sábado, devido à covid-19.

“Constatamos com alguma satisfação que a situação de covid-19 em todo o território nacional parece estável e confortável”, disse o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Novas Tecnologias e Comunicação Social, Wando Castro.

“Temos verificado uma curva decrescente de casos positivos nas últimas semanas. Só para frisar que nós temos 16 casos ativos na ilha de São Tomé e dez na ilha do Príncipe, sendo que não há neste momento nenhum paciente internado nos hospitais de campanha das duas ilhas”, acrescentou o governante.

O executivo considera a decisão como “medidas menos gravosas que entrarão em vigor a partir de 01 de maio”, sublinhando que a “diferenciação das medidas” entre as duas ilhas prende-se com o facto de nos últimos dias continuar a verificar-se a existência de alguns casos positivos na ilha do Príncipe.

Por isso, de acordo com Wando Castro, a continuação do estado de emergência naquela região vai permitir “consolidar os resultados positivos nos próximos dias”.

O Governo refere ainda que “todas as medidas anunciadas anteriormente vão manter-se em vigor durante este período”.

“Para São Tomé e para o Príncipe, as restrições têm a ver ainda com a realização de piqueniques e vendas ambulantes nas praias, a abertura das discotecas e outros recintos de atividades recreativas até ao final do mês de maio”, explicou o governante.

A visita aos doentes afetados com covid-19 mantém-se proibida, bem como a circulação de pessoas com resultados positivos da doença.

“O Governo pede a toda a população para que não entre num processo de demasiado relaxamento. Nós estamos a assumir essas medidas de forma responsável, calculando todos os riscos que esta situação encerra, até porque a covid-19 ainda persiste no nosso seio”, disse Wando Castro.

O governante lembrou que ainda não foi concluído o processo de vacinação de grande parte da população, pelo que “é necessário durante algum tempo” ainda se manterem as “regras básicas sanitárias”.

Nas últimas 48 horas o país registou quatro casos positivos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, aumentando para 2.301 o número de casos desde o início da pandemia em São Tomé e Príncipe, em abril do ano passado.

Atualmente estão sob vigilância 27 pessoas, sendo 16 em isolamento domiciliar em São Tomé e dez na ilha do Príncipe.

O total de cidadãos recuperados são 2.239 pacientes, continuando em 35 o número de óbitos.

MYB // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS