Covid-19: Rússia ultrapassa as 5.000 mortes devido à doença

A Rússia ultrapassou hoje as 5.000 mortes atribuídas ao novo coronavírus, segundo os últimos dados oficiais, enquanto as novas infeções continuam acima dos 8.000 casos diários.

Covid-19: Rússia ultrapassa as 5.000 mortes devido à doença

Covid-19: Rússia ultrapassa as 5.000 mortes devido à doença

A Rússia ultrapassou hoje as 5.000 mortes atribuídas ao novo coronavírus, segundo os últimos dados oficiais, enquanto as novas infeções continuam acima dos 8.000 casos diários.

Nas últimas 24 horas, 182 pessoas morreram devido à covid-19 na Rússia, fazendo aumentar o número total de mortos para os 5.037.

O número de novas infeções foi de 8.863, subindo o total para as 423.741.

A Rússia continua a ser o terceiro país no mundo com mais contágios, atrás do Brasil e dos Estados Unidos.

O número de novas infeções, no entanto, tem vindo a descer lentamente nas duas últimas semanas, em particular em Moscovo, o epicentro da epidemia na Rússia, com mais de metade das mortes.

As autoridades russas indicam terem realizado no total 11,1 milhões de testes à covid-19.

Explicam a baixa taxa de mortalidade da doença em comparação com a Europa ocidental com a tomada de medidas muito cedo, uma política de rastreio em massa da população e uma reestruturação rápida do sistema hospitalar.

O governo disse também só contar as mortes cuja primeira causa é a covid-19, enquanto em muitos outros países a quase totalidade das mortes de pessoas positivas para o novo coronavírus são contabilizadas.

No entanto, os críticos questionam a veracidade dos números oficiais.

Contando com uma melhoria tímida da situação, a capital russa reabriu na segunda-feira os seus parques e lojas encerrados há dois meses.

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou a realização a 01 de julho de um referendo sobre a reforma constitucional que lhe permitirá, nomeadamente, efetuar dois mandatos suplementares a partir de 2024. A votação tinha sido adiada devido à epidemia.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 373.000 mortos e infetou mais de 6,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço da agência France Presse.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

PAL // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS