Covid-19: Rússia ultrapassa 2,8 milhões de infetados e 50 mil óbitos

A Rússia ultrapassou os 2,8 milhões novos casos positivos por covid-19, ao somar 28.209 novos casos de infeção, e os 50 mil óbitos.

Covid-19: Rússia ultrapassa 2,8 milhões de infetados e 50 mil óbitos

Covid-19: Rússia ultrapassa 2,8 milhões de infetados e 50 mil óbitos

A Rússia ultrapassou os 2,8 milhões novos casos positivos por covid-19, ao somar 28.209 novos casos de infeção, e os 50 mil óbitos.

Moscovo, Rússia, 19 dez 2020 (Lusa) — A Rússia ultrapassou hoje os 2,8 milhões novos casos positivos por covid-19, ao somar 28.209 novos casos de infeção, e os 50 mil óbitos, informou o centro operativo da luta contra o novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, nas 85 regiões do país foram notificados 2.819.429 casos de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a covid-19.

Por outro lado, no mesmo período recuperaram da doença 2.254.742 pessoas.

Segundo os dados oficiais, nas últimas 24 horas morreram 585 pessoas, elevando o total de óbitos por covid-19 para 50.347.

Em Moscovo, cidade foco da pandemia, registaram-se entre sexta-feira e hoje 6.459 casos, elevando o número de infeções pelo SARS-CoV-2 para 728.637.

Na capital morreram 74 pessoas, sendo que, desde março, já se registaram 10.317 óbitos pela doença.

Em São Petersburgo, onde os hospitais estão a trabalhar sob uma enorme pressão, os novos casos aumentaram para 3.754 nas últimas 24 horas e registaram-se 75 óbitos.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou na quinta-feira, durante uma conferência de imprensa, que não haverá bloqueios no país se a população cumprir as recomendações de saúde.

Na Rússia a campanha de vacinação já se iniciou em todo o país, sendo que cerca de 15.000 residentes de Moscovo já receberam a vacina Sputnik V.

Até ao momento, os profissionais de saúde, professores, assistentes sociais, funcionários de secretarias municipais de atendimento ao público e do setor da cultura, comércio e serviços já podem ser vacinados na capital.

A partir de segunda-feira, também os trabalhadores da indústria, transportes e meios de comunicação poderão ser vacinados.

O presidente da câmara de Moscovo, Sergei Sobyanin, alertou que a cidade só poderá regressar a uma vida sem restrições – teletrabalho, confinamento de idosos, horário limitado para restaurantes, cafés e bares, capacidade reduzida nos teatros e concertos — após a vacinação em massa da população.

 

SPYC // JNM

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS