Covid-19: Rio apenas admite estado de emergência “se um dia for necessário”

O presidente do PSD admitiu poder apoiar declaração de estado de emergência devido ao novo coronavírus “se um dia for necessário”, mas dizendo que tal cenário não foi ainda colocado.

Covid-19: Rio apenas admite estado de emergência

Covid-19: Rio apenas admite estado de emergência “se um dia for necessário”

O presidente do PSD admitiu poder apoiar declaração de estado de emergência devido ao novo coronavírus “se um dia for necessário”, mas dizendo que tal cenário não foi ainda colocado.

Questionado pelos jornalistas no final de uma reunião com a CGTP, na sede nacional do partido, Rui Rio escusou-se a comentar a hipótese de o PSD poder apoiar um Orçamento Retificativo, lembrando que o orçamento para 2020 ainda nem sequer está em vigor.

“Neste momento, o Orçamento do Estado não está sequer em vigor, vai retificar o que nem sequer está em vigor? É um problema que não se coloca”, disse.

Poucas horas depois de ter estado com o primeiro-ministro, precisamente para conhecer as medidas que o Governo anunciará hoje à noite, Rio foi questionado se apoiaria a eventual declaração de um estado de emergência.

“Se um dia vier isso ver a ser necessário, com certeza. É preciso que seja necessário”, disse.

Perante a pergunta de “se esse dia é agora”, respondeu: “Não foi referido isso, não vi isso em lado nenhum”.

Rio manifestou concordância com a decisão de suspender os jogos de futebol da I e II ligas e com todas que possam permitir ao país “andar sempre um bocadinho à frene do vírus”.

“Mais vale pecar por excesso do que por defeito”, disse.

O líder do PSD considerou que o vírus será também uma ameaça à economia e antecipou que o primeiro-ministro também anunciará logo à noite medidas de apoio às empresas.

“Não me vou pôr a pré concordar ou pré discordar daquilo que o Governo se propõe a fazer, a tendência é para a concordância, na exata medida em que devemos estar todos aqui a combater um inimigo comum”, afirmou.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.600 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 125 mil pessoas, com casos registados em cerca de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (19), ao passar de 59 para 78, dos quais 69 estão internados.

O boletim divulgado hoje assinala também que há 133 casos a aguardar resultado laboratorial e 4.923 contactos em vigilância, mais 1.857 do que na quarta-feira.

No total, desde o início da epidemia, a DGS registou 637 casos suspeitos.

O Conselho Nacional de Saúde Pública recomendou na quarta-feira que só devem ser encerradas escolas públicas ou privadas por determinação das autoridades de saúde.

SMA // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS