Covid-19: Reino Unido regista 696 mortes e infeções invertem declínio

O Reino Unido registou mais 696 mortes atribuídas à covid-19 nas últimas 24 horas e 18.213 novas infeções, uma subida após cinco dias em declínio, segundo o Ministério da Saúde.

Covid-19: Reino Unido regista 696 mortes e infeções invertem declínio

Covid-19: Reino Unido regista 696 mortes e infeções invertem declínio

O Reino Unido registou mais 696 mortes atribuídas à covid-19 nas últimas 24 horas e 18.213 novas infeções, uma subida após cinco dias em declínio, segundo o Ministério da Saúde.

Na terça-feira tinham sido registadas 608 mortes e 11.299 novos casos. 

As autoridades e especialistas têm advertido para o risco de serem feitas análises com base nas flutuações diárias, que podem ser resultado de outros fatores, incluindo administrativos. 

A tendência das últimas semanas tem sido de decréscimo em termos de casos de contágio, sendo os 126.666 notificados nos últimos sete dias uma redução de 27% face aos sete dias anteriores. 

A mortalidade também estava em desaceleração, mas os nos últimos dias voltou a subir e a média diária dos últimos sete dias passou para 466. 

Os números mais recentes, relativos a segunda-feira, indicam que estão hospitalizados 16.570 pacientes com covid-19, dos quais 1.489 com assistência de ventilador. 

Também este indicador indica uma tendência de descida, o que contribuiu para o governo britânico anunciar o levantamento do confinamento nacional em Inglaterra dentro de uma semana, passando para medidas regionais envolvendo três níveis de restrições com base na escala do surto em diferentes áreas geográficas.

Desde o início da pandemia covid-19, o Reino Unido contabilizou oficialmente 56.533 mortes de covid-19 e 1.557.007 casos positivos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.410.829 mortos resultantes de mais de 59,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 4.127 pessoas dos 274.011 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

BM // ANP

Lusa/fim 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS