Covid-19: Reino Unido regista 223 mortes, máximo desde março

O Reino Unido registou 223 mortes devido a covid-19 nas últimas 24 horas, o valor mais alto desde março, e 43.738 novos casos, levando alguns cientistas a defender novas medidas.

Covid-19: Reino Unido regista 223 mortes, máximo desde março

Covid-19: Reino Unido regista 223 mortes, máximo desde março

O Reino Unido registou 223 mortes devido a covid-19 nas últimas 24 horas, o valor mais alto desde março, e 43.738 novos casos, levando alguns cientistas a defender novas medidas.

Londres, 19 out 2021 (Lusa) – O Reino Unido registou 223 mortes devido a covid-19 nas últimas 24 horas, o valor mais alto desde março, e 43.738 novos casos, de acordo com os dados oficiais atualizados hoje, levando alguns cientistas a defender novas medidas.

Na segunda-feira, o Reino Unido tinha registado 49.156 casos, o valor mais alto desde meados de janeiro, e 45 mortes.

Os números dos últimos dias confirmam uma tendência de agravamento da pandemia no Reino Unido, o país europeu mais afetado, com 138.852 mortes no balanço oficial. 

O facto de ter sido o país que avançou mais rapidamente com o programa de imunização, em dezembro de 2020, pode agora estar a ter um efeito negativo, porque os estudos sugerem que a proteção decresce gradualmente com o tempo.

Os maiores de 50 anos e pessoas mais vulneráveis estão a receber doses de reforço, mas a um ritmo mais lento, e apenas 15% das crianças 12 a 15 anos foram vacinadas. 

“É fundamental que aceleremos o programa de reforço”, defendeu o epidemiologista Neil Ferguson, membro do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências do Governo, em declarações à BBC.

Ferguson disse que um fator que influencia o alto número de casos no Reino Unido é a dependência da vacina AstraZeneca, que, “embora proteja muito bem contra sintomas muito graves de covid-19, protege um pouco menos do que a da Pfizer contra infeção e transmissão, especialmente da variante delta”

Por outro lado, continuou, “a maioria dos países da Europa Ocidental manteve em vigor mais medidas de controlo, passes sanitários, obrigatoriedade do uso de máscaras, e tendem a ter números mais baixos e certamente não números de casos que estão a subir tão rápido quanto nós.”

No entanto, a decisão para impor restrições, vincou, “é uma decisão política a ser tomada pelo Governo”.

Nos últimos sete dias, entre 13 e 19 de outubro, a média diária foi de 130 mortes e 44.890 casos, o que corresponde a uma subida de 11,6% no número de mortes e de 16,1% no número de infeções relativamente aos sete dias anteriores.

A média diária de hospitalizações foi de 848 entre 09 e 15 de outubro, uma subida de 10% face aos sete dias anteriores.

Nas passadas 24 horas foram administradas 63.251 vacinas no país.

Até agora, 86% da população com mais de 12 anos foi imunizada com uma primeira dose e 78,9% tem a vacinação completa.

A covid-19 provocou pelo menos 4.902.638 mortes em todo o mundo, entre mais de 241,03 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.106 pessoas e foram contabilizados 1.080.929 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

BM // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS