Covid-19: Rede Aga Khan doa material para combater pandemia no norte de Moçambique

A Fundação Aga Khan disponibilizou hoje material médico-cirúrgico e laboratorial para o combate à covid-19 na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, avaliado em cerca de três milhões de meticais (40 mil euros), financiados pelo Governo do Canadá.

Covid-19: Rede Aga Khan doa material para combater pandemia no norte de Moçambique

Covid-19: Rede Aga Khan doa material para combater pandemia no norte de Moçambique

A Fundação Aga Khan disponibilizou hoje material médico-cirúrgico e laboratorial para o combate à covid-19 na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, avaliado em cerca de três milhões de meticais (40 mil euros), financiados pelo Governo do Canadá.

O material doado pela fundação é constituído, entre outros, por máscaras, colchões, luvas, material de higiene e recolha de amostras, segundo Rahim Bangy, diretor regional da Aga Khan, que falava durante a cerimónia de entrega do donativo.

“Nós acreditamos que esta entrega vai reforçar o sistema de saúde aqui na província de Cabo Delgado. Num momento em que atravessamos a terceira vaga da pandemia da covid-19, esta entrega é essencial. É importante que todos nós continuemos a trabalhar juntos”, referiu Rahim Bangy.

Para o setor da Saúde em Cabo Delgado, a doação vai contribuir para o reforço das necessidades dos distritos da província no combate ao novo coronavírus, que obrigou a uma procura maior por material médico.

“Nós temos 17 distritos e neste momento temos grandes desafios. Fomos encontrados pela covid-19 e a nossa demanda de consumo deste material é muito maior em relação àquilo que estamos habituados”, disse Anastácia Lidimba, diretora dos serviços provinciais de Saúde.   

A Fundação Aga Khan está em Moçambique desde 2001, desenvolvendo e apoiando iniciativas em setores como a agricultura e segurança alimentar, saúde, nutrição e educação.

Moçambique regista um aumento acelerado do número de casos, óbitos e internamentos face à terceira vaga da doença no país, situação que pressiona o sistema de saúde, levando as autoridades a alertarem para um possível esgotamento da capacidade de internamento.

Só em julho, altura em que foi declarada a terceira vaga do novo coronavírus, Moçambique registou 556 mortes, 45.624 novos casos e 1.953 internamentos.

Desde que foi declarada a doença em Moçambique, em março de 2020, o país registou um total acumulado de 1.479 óbitos e 124.962 casos, 76% dos quais recuperados.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.234.618 mortos em todo o mundo, entre mais de 198,8 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

LYN // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS