Covid-19: Quarenta mortos e 1.119 infetados nas últimas 24 horas no Brasil

O número de mortos devido ao novo coronavírus nas últimas 24 horas no Brasil foi de 40, a que se somam 1.119 casos confirmados, o que eleva para 241 os óbitos e 6.836 os infetados.

Covid-19: Quarenta mortos e 1.119 infetados nas últimas 24 horas no Brasil

Covid-19: Quarenta mortos e 1.119 infetados nas últimas 24 horas no Brasil

O número de mortos devido ao novo coronavírus nas últimas 24 horas no Brasil foi de 40, a que se somam 1.119 casos confirmados, o que eleva para 241 os óbitos e 6.836 os infetados.

Brasília, 01 abr 2020 (Lusa) — O número de mortos devido ao novo coronavírus nas últimas 24 horas no Brasil foi de 40, a que se somam 1.119 casos confirmados, o que eleva para 241 os óbitos e 6.836 os infetados, anunciou hoje o Governo brasileiro.

Segundo o executivo brasileiro, liderado pelo Presidente Jair Bolsonaro, a taxa de mortalidade da covid-19 no Brasil mantém-se em 3,5% e 90% dos óbitos foram registados em cidadãos acima de 60 anos.

De acordo os dados hoje divulgados, 20 das 27 unidades federativas do país (26 estados mais o Distrito Federal) registaram óbitos devido ao novo coronavírus: Amazonas, Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Piauí, São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Maranhão, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Todas as regiões do Brasil têm mortes confirmadas pela covid-19, sendo que o sudeste continua a ser a mais afetada, com 4.223 infetados.

Em relação aos estados, São Paulo é a unidade federativa com maior número de casos registados, totalizando 164 mortos e 2.981 casos confirmados da covid-19. Segue-se o Rio de Janeiro com 28 óbitos e 832 infetados e o Ceará que contabilizou oito vítimas mortais e 444 casos positivos para coronavírus.

Além de ser o estado mais afetado, São Paulo aguarda ainda testes em 201 pessoas que morreram, informou o governo estadual, acrescentando que o total de exames que esperam resultado é de 16 mil.

Devido ao atraso em disponibilizar os resultados dos testes que comprovam a doença, parte dos óbitos por infeção do novo coronavírus não aparece na contabilização diária feita pelo Ministério da Saúde.

Numa conferência de imprensa interministerial, feita na tarde de hoje, o ministro da Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, afirmou o que executivo tem em marcha uma série de medidas para repatriar cidadãos brasileiros retidos no estrangeiro devido ao encerramento de fronteiras.

“O Ministério das Relações Exteriores está concentrado em trazer brasileiros que estão no exterior. Já conseguimos repatriar 10 mil e ainda há 5.800 brasileiros”, disse Araújo, acrescentando que o processo está a ser feito através de voos comerciais, na sua maioria, mas também de voos fretados.

Um dos casos mencionado foi o de Portugal, de onde já regressaram seis mil brasileiros, mas ainda faltam cerca de 1.500 cidadãos, segundo o ministro.

“Já há voos comercias programados para os próximos três dias. (…) Os consulados e embaixadas estão a dar todo o apoio possível. Todos os brasileiros que estão no exterior a precisar de repatriação são prioridades para nós”, garantiu o governante.

O Brasil registou o seu primeiro caso de uma indígena infetada pelo novo coronavírus, confirmou hoje a Fundação de Vigilância em Saúde do estado do Amazonas.

Trata-se de uma jovem indígena de 20 anos, agente de saúde, a viver no interior do Amazonas, e que se encontra em isolamento desde a última semana, quando surgiram as suspeitas de ter tido contacto com uma pessoa infetada.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 905 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 46 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 176.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

MYMM // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS