Covid-19: Primeiro-ministro de Cabo Verde quer 70% de população vacinada em setembro

O PM cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, antecipou para setembro a meta de atingir 70% da população adulta vacinada contra a covid-19 e anunciou reforço dos postos de vacinação no país.

Covid-19: Primeiro-ministro de Cabo Verde quer 70% de população vacinada em setembro

Covid-19: Primeiro-ministro de Cabo Verde quer 70% de população vacinada em setembro

O PM cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, antecipou para setembro a meta de atingir 70% da população adulta vacinada contra a covid-19 e anunciou reforço dos postos de vacinação no país.

“Iniciei hoje uma visita aos postos de vacinação em Santiago Sul, tendo constatado que a vacinação vai a bom ritmo. São Domingos já ultrapassou os 65% e Ribeira Grande de Santiago os 57%, mas decidimos aumentar a meta para que, entre os meses de agosto e setembro, atingirmos mais de 70% da população vacinada”, traçou o chefe do Governo.

Para o primeiro-ministro, quanto mais pessoas estiverem vacinadas, mais protegidos estarão todos e maiores são as condições para a retoma da normalidade.

Depois de São Domingos e Ribeira Grande, na sexta-feira o chefe do Governo completa a visita a Santiago Sul, indo aos postos de vacinação da Praia, onde notou que “precisa de uma ação mais forte”, mas perspetiva uma “boa adesão” da população.

“Vamos reforçar os meios e condições de mais postos de vacinação, com mais enfermeiros para uma resposta mais rápida e efetiva”, assegurou Ulisses Correia e Silva.

O plano nacional de vacinação contra a covid-19 em Cabo Verde traçou inicialmente como meta vacinar até 2023 um total de 60% da população, sendo 20% em 2021, 20% em 2022 e 20% em 2023.

Mas esse objetivo foi redefinido e o primeiro-ministro considerou em março ser “imperativo” o país vacinar 70% da população ainda este ano para retomar a confiança na economia e o crescimento de emprego.

Para incentivar a adesão da população à campanha de vacinação contra a covid-19, o Governo lançou o “Certificado Covid”, que os clientes vão ser obrigados a apresentar nos restaurantes e bares a partir de setembro e nas discotecas, que reabrem em 01 de outubro.

O certificado, em formato digital ou papel, é a replicação integral do modelo utilizado pelos países da União Europeia, confirmando um teste (PCR ou antigénio) com resultado negativo à covid-19, a recuperação da doença ou de pelo menos a primeira dose de uma vacina reconhecida pelas autoridades de saúde cabo-verdianas.

A campanha de vacinação em Cabo Verde arrancou em março e até 08 de agosto 180.084 pessoas (48,6%) da população alvo estava vacinada com a primeira dose e 26.188 pessoas (7,1%) com a segunda dose.

Segundo o boletim de vacinação do Ministério da Saúde, até 08 de agosto o país tinha utilizado 206.272 (50,4%) das cerca de 409 mil vacinas recebidas, através do mecanismo Covax e doações de países parceiros.

Cabo Verde tinha até terça-feira um total de 34.445 casos positivos acumulados desde o início da pandemia, dos quais 300 resultaram em óbitos, 33.569 considerados recuperados da infeção e contabilizava 555 casos ativos.

A covid-19 provocou pelo menos 4.381.911 mortes em todo o mundo, entre mais de 208,5 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

RIPE // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS