Covid-19: Presidente alemão apela à redução de contactos para evitar nova paragem da vida pública

O Presidente alemão apelou à população para reduzir os contactos e evitar uma nova paragem da vida pública face à gravidade da pandemia no país, onde se registou novo recorde na incidência.

Covid-19: Presidente alemão apela à redução de contactos para evitar nova paragem da vida pública

Covid-19: Presidente alemão apela à redução de contactos para evitar nova paragem da vida pública

O Presidente alemão apelou à população para reduzir os contactos e evitar uma nova paragem da vida pública face à gravidade da pandemia no país, onde se registou novo recorde na incidência.

Berlim, 28 nov 2021 (Lusa) — O Presidente alemão apelou hoje à população para reduzir os contactos para que se evite uma nova paragem da vida pública face à gravidade da pandemia de covid-19 no país, onde se registou hoje um novo recorde na incidência.

“Respeitemos as regras, reduzamos cada vez mais os contactos. Vamos fazer isso para evitar que escolas e jardins-de-infância fechem novamente, para que não tenhamos de parar outra vez a vida pública. Vamos fazer isso acima de tudo para salvar vidas”, disse Frank-Walter Steinmeier.

Numa coluna publicada na edição dominical do diário Bild, Steinmeier pediu à população para que se vacine e que receba a dose de reforço. 

“É sobre a nossa saúde e sobre a saúde dos outros. É sobre o futuro do nosso país”, defendeu, acrescentando que a vacina é “o que protege contra o desenvolvimento grave, ou mesmo fatal, da doença” e admitindo que o número de pessoas que aceitaram ser vacinadas é “insuficiente”. 

“Poderíamos estar muito mais longe! É uma conclusão amarga, mas necessária”, lamentou, salientando que, nos dias de hoje, a situação “agrava-se dramaticamente de novo”, em que cada vez mais pessoas lutam pela vida nas unidades de cuidados intensivos e que centenas perdem a luta todos os dias.

“Ainda pode haver dúvidas de que a pandemia seja sobre a vida ou a morte?”, questionou.

A taxa de incidência acumulada continua a registar picos consecutivos na Alemanha desde o início deste mês, tendo hoje atingido 446,7 novas infeções por 100.000 habitantes em sete dias, em comparação com 372,7 na semana anterior e 130,2 no mês anterior. 

As autoridades de saúde relataram 44.401 novas infeções em 24 horas e 104 mortes de ou com covid-19, enquanto o número de casos ativos é de cerca de 837.200, segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI) de virologia atualizados no sábado.

Por seu lado, também no sábado, o Ministério da Saúde da Baviera relatou dois casos confirmados da variante Ómicron em dois passageiros que chegaram ao aeroporto de Munique, procedentes da África do Sul, na passada quarta-feira.

O Ministro de Assuntos Sociais do estado federal de Hesse, Kai Klose, relatou outro caso suspeito, referindo-se a um passageiro que chegou em 21 deste mês ao aeroporto de Frankfurt, também vindo da África do Sul. Os resultados do sequenciamento completo devem ser conhecidos na segunda-feira. 

Segundo o mais recente relatório diário do RKI, publicado na sexta-feira, a taxa acumulada de internações em sete dias é de 5,97 por 100.000 habitantes, e a ocupação nas unidades de cuidados intensivos com pacientes de covid-19 é de 18,9% das camas disponíveis para a população adulta. 

Até sexta-feira, 71,1% da população da Alemanha (59,1 milhões de pessoas) tinha sido vacinada, 68,4% (56,9 milhões) com as duas doses e 8,6 milhões já com a de reforço.

Segundo o mais recente balanço da agência noticiosa France-Presse (AFP), divulgado na sexta-feira, a covid-19 provocou pelo menos 5.180.276 mortes em todo o mundo, entre mais de 259,46 milhões infeções pelo novo coronavírus.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

 

JSD // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS