Covid-19: População da Guiné-Bissau está a aderir à segunda fase da vacinação

A população guineense está a aderir à segunda fase da vacinação, que arrancou no fim de semana nas regiões de Biombo, Bafatá e Setor Autónomo de Bissau, disse hoje fonte do Alto-Comissariado para a Covid-19 da Guiné-Bissau.

Covid-19: População da Guiné-Bissau está a aderir à segunda fase da vacinação

Covid-19: População da Guiné-Bissau está a aderir à segunda fase da vacinação

A população guineense está a aderir à segunda fase da vacinação, que arrancou no fim de semana nas regiões de Biombo, Bafatá e Setor Autónomo de Bissau, disse hoje fonte do Alto-Comissariado para a Covid-19 da Guiné-Bissau.

“A população está a aderir. Já estamos no terceiro dia e a resposta é satisfatória e apelamos para que esta dinâmica continue e aumente para termos o maior número de população vacinada”, afirmou Plácido Cardoso, secretário do Alto-Comissariado para a Covid-19.

O responsável afirmou também que as pessoas devem estar “conscientes de que a vacina é segura e é um meio seguro de proteção contra a covid-19”.

Em relação aos números registados na última semana, o secretário do Alto-Comissariado para a Covid-19 pediu às pessoas para evitarem “baixar a guarda”.

A Guiné-Bissau registou entre 17 e 23 de maio cinco novos casos positivos para covid-19 para um total acumulado de 3.751 e mais uma vítima mortal, para um total de 68 mortos registados desde o início da pandemia.

O país tem atualmente 182 casos ativos.

“Devemos evitar baixar a guarda. Devemos continuar a ter consciência de que o vírus está a circular. Esta redução do número de casos positivos poderá ter a ver com a nossa redução da capacidade de testagem”, salientou o médico guineense.

Plácido Cardoso voltou a apelar aos residentes na Guiné-Bissau para cumprirem com as medidas recomendadas, nomeadamente utilização da máscara, distanciamento e lavagem frequente das mãos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.465.398 mortos no mundo, resultantes de mais de 166,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

MSE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS