Covid-19: Pandemia matou pelo menos 4.822.267 pessoas em todo o mundo

A pandemia de covid-19 fez pelo menos 4.822.267 mortos em todo o mundo e mais de 236.232.480 casos foram diagnosticados, desde o surgimento da doença na China, em 2019, segundo a AFP.

Covid-19: Pandemia matou pelo menos 4.822.267 pessoas em todo o mundo

Covid-19: Pandemia matou pelo menos 4.822.267 pessoas em todo o mundo

A pandemia de covid-19 fez pelo menos 4.822.267 mortos em todo o mundo e mais de 236.232.480 casos foram diagnosticados, desde o surgimento da doença na China, em 2019, segundo a AFP.

Paris, 07 out 2021 (Lusa) — A pandemia de covid-19 fez pelo menos 4.822.267 mortos em todo o mundo, desde o surgimento da doença na China, em dezembro de 2019, segundo um balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP, com base em dados oficiais.

Mais de 236.232.480 casos de infeção foram diagnosticados desde o início da pandemia. A grande maioria cura-se, mas uma parte ainda mal avaliada mantém os sintomas durante semanas, às vezes meses.

Os números assentam nos balanços diariamente comunicados pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões realizadas ‘a posteriori’ por alguns organismos estatísticos, que apontam para um número bastante superior de vítimas mortais.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera mesmo, tendo em conta o aumento da mortalidade direta ou indiretamente relacionada com a covid-19, que o balanço real da pandemia poderá ser duas a três vezes mais elevado que o oficialmente registado.

Uma boa parte dos casos menos graves ou assintomáticos mantém-se, assim, por detetar, apesar da intensificação da testagem em muitos países.

Na quarta-feira, foram registadas mais 8.662 mortes e 453.628 novos casos no mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes nos seus últimos balanços foram os Estados Unidos, com mais 2.591 mortos, a Rússia, com 924, e o México, com 711.

Os Estados Unidos são o país mais atingido pela pandemia, tanto em número de mortos como de novos casos, com 707.788 mortes em 44.059.047 casos registados, segundo dados da universidade Johns Hopkins.

A seguir aos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 599.359 mortos e 21.516.967 casos, a Índia, com 449.856 mortos e 33.894.312 casos, o México, com 280.607 mortos e 3.699.621 casos, e a Rússia, com 213.549 mortos e 7.690.110 casos.

Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é aquele com o maior número de mortos em relação à sua população, com 605 mortes por 100.000 habitantes, seguido da Bósnia (329), a Macedónia do Norte (324), a Hungria (313), o Montenegro (313) e a Bulgária (307).

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje, às 10:00 TMG, 1.497.712 mortos em 45.186.561 casos, a Europa, 1.326.233 mortos (68.861.048 casos), a Ásia, 846.792 mortos (54.432.857 casos), os Estados Unidos e o Canadá, 735.856 mortos (45.703.538 casos), a África, 212.186 mortos (8.343.165 casos), o Médio Oriente, 201.198 mortos (13.510.389 casos) e a Oceânia, 2.290 mortos (194.923 casos).

Este balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da OMS.

Devido a correções feitas pelas autoridades ou publicações tardias de dados, os números referentes aos aumentos em 24 horas podem não corresponder exatamente aos divulgados no dia anterior.

ANC //CFF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS