Covid-19: Ovar com 21 infetados em lar de Cortegaça e a preparar 120 testes no de Maceda

A Câmara Municipal de Ovar revelou esta madrugada que há 21 utentes e funcionários infetados com o novo coronavírus no lar de idosos de Cortegaça, anunciando para hoje 120 testes de diagnóstico também na residencial sénior de Maceda.

Covid-19: Ovar com 21 infetados em lar de Cortegaça e a preparar 120 testes no de Maceda

Covid-19: Ovar com 21 infetados em lar de Cortegaça e a preparar 120 testes no de Maceda

A Câmara Municipal de Ovar revelou esta madrugada que há 21 utentes e funcionários infetados com o novo coronavírus no lar de idosos de Cortegaça, anunciando para hoje 120 testes de diagnóstico também na residencial sénior de Maceda.

A Câmara Municipal de Ovar revelou esta madrugada que há 21 utentes e funcionários infetados com o novo coronavírus no lar de idosos de Cortegaça, anunciando para hoje 120 testes de diagnóstico também na residencial sénior de Maceda.

“Neste momento existe um surto no lar de Cortegaça e temos conhecimento de 13 utentes infetados e ainda oito quadros. Todos estão assintomáticos e temos a certeza de que as medidas estão a ser implementadas com o devido rigor”, refere o presidente daquela autarquia do distrito de Aveiro, Salvador Malheiro, numa mensagem em vídeo enviada à comunicação social.

Já na estrutura residencial para idosos da freguesia de Maceda, o vírus SARS-CoV-2 foi detetado num cidadão, mas o autarca social-democrata adianta: “Hoje vamos testar 120 pessoas e estamos prontos para atuar de imediato no sentido de poder voltar à normalidade”.

Na mensagem, Salvador Malheiro admite que a situação epidemiológica em Ovar se agravou nos últimos dias, mas garante que essa não se compara ao que foi registado entre março e abril, quando a disseminação comunitária da doença obrigou a sujeitar esse território de 148 quilómetros quadrados e 55.400 habitantes a uma cerca sanitária – com tudo o que isso implicou de controlo de fronteiras, impedimentos de circulação de pessoas e bens, suspensão da atividade empresarial, etc.

“Neste momento estamos numa situação claramente melhor do que é a generalidade do país, em contraponto com o que aconteceu na primavera passada, quando em Ovar estávamos pior. Hoje teremos cerca de 50 municípios com números bem piores do que nossos”, diz.

O concelho está a registar atualmente “15 a 20 novos casos por dia” de covid-19, o que justifica que na terça-feira tenha sido reativado o Gabinete de Crise da autarquia, que, como refere Salvador Malheiro, “engloba todas as forças vivas da Proteção Civil e também autoridades de saúde pública, juntas de freguesa, PSP, GNR, ASAE [Autoridade de Segurança Alimentar e Económica] e Segurança Social”, entre outras entidades.

Também em resposta ao crescente número de casos de infeção, autarquia e paróquias do concelho decidiram encerrar os cemitérios locais este sábado e domingo, Dia de Todos os Santos, numa tentativa de diminuir na comunidade a possibilidade de contágio pelo novo coronavírus.

O presidente da Câmara diz aguardar agora as medidas de combate à pandemia que deverão ser anunciadas pelo Governo este sábado e recomenda: “Devemos acatar com a devida calma e a máxima responsabilidade o que poderá advir desse conselho de ministros extraordinário”.

O novo coronavírus responsável pela presente pandemia de covid-19 foi detetado na China em dezembro de 2019 e já provocou mais de um 1,1 milhões de mortes em todo o mundo, infetando mais de 44,5 milhões.

Em Portugal, onde os primeiros casos confirmados se registaram a 02 de março, o último balanço da Direção-Geral da Saúde indicava 2.428 óbitos entre 132.616 infeções confirmadas.

No caso específico de Ovar, a autarquia contabilizava esta quinta-feira à tarde 182 casos ativos no concelho, num acréscimo de 25 infeções desde o dia anterior. A média etária dos doentes é agora de 47 anos.

Feito o balanço, a estatística local apresenta um total acumulado de 41 óbitos e 1.061 casos de infeção pelo SARS-CoV-2 desde o início da pandemia em março.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS