Covid-19: Movimento de passageiros nos aeroportos da Madeira com quebra de 61,7%

O movimento de passageiros nos aeroportos da Madeira registou uma quebra de 61,7% no primeiro semestre de 2020 face ao período homólogo e baixou 54,4% ao nível dos navios de cruzeiro, indicou hoje a Direção Regional de Estatística (DREM).

Covid-19: Movimento de passageiros nos aeroportos da Madeira com quebra de 61,7%

Covid-19: Movimento de passageiros nos aeroportos da Madeira com quebra de 61,7%

O movimento de passageiros nos aeroportos da Madeira registou uma quebra de 61,7% no primeiro semestre de 2020 face ao período homólogo e baixou 54,4% ao nível dos navios de cruzeiro, indicou hoje a Direção Regional de Estatística (DREM).

Os dados divulgados apontam também para uma redução de 38,2% dos utilizadores das carreiras urbanas de transportes coletivos do arquipélago, num período marcado por restrições e medidas de contenção da pandemia de covid-19.

“Os aeroportos da região autónoma registaram no primeiro semestre de 2020 um movimento de aproximadamente 624,4 mil passageiros, menos 61,7% que no semestre homólogo”, indica a Direção Regional de Estatística, esclarecendo que o Aeroporto da Madeira teve uma variação homóloga negativa de 61,3%, enquanto no Aeroporto do Porto Santo se verificou uma quebra de 70,5%.

No segundo trimestre de 2020, a redução do movimento de passageiros no conjunto dos aeroportos do arquipélago foi de 98,8%.

Em relação à carga aérea, nos primeiros seis meses de 2020 observou-se um decréscimo tanto nas mercadorias descarregadas (-27,3%) como nas carregadas (-23,1%).

Por outro lado, de acordo com os dados apurados pela Direção Regional de Estatística da Madeira, os transportes coletivos de passageiros por meio de autocarro contabilizaram no primeiro semestre um total de 8,1 milhões de utilizadores, sendo que, nas carreiras urbanas, foram transportados 5,3 milhões de passageiros entre janeiro e junho, menos 38,2% em comparação com o período homólogo.

“De notar que, no segundo trimestre de 2020 – aquele em que o impacto da pandemia mais se fez sentir – o transporte de passageiros em autocarros foi menos de um terço do valor de 2019”, sublinha a entidade.

Entre janeiro e junho de 2020, venderam-se cerca de 170 mil bilhetes a utilizadores dos teleféricos da região (-63,6% que em igual período do ano passado), sendo 91,7% para adultos, 4,0% para crianças e o restante para outro tipo de utilizadores.

As receitas totais dos primeiros seis meses foram aproximadamente 2 milhões de euros, correspondendo a um decréscimo de 62,8% face ao período homólogo.

Por outro lado, as conservatórias da região registaram no primeiro semestre de 2020 a transferência de registo de 4.814 veículos automóveis usados, 81,3% dos quais ligeiros de passageiros e 15,5% ligeiros de mercadorias. Foram também registados 149 veículos pesados, cerca de 3,1% do total.

“Em comparação com o primeiro semestre de 2019, o número de registos diminuiu em 1.861, o que traduz um decréscimo homólogo de 27,9%. No segundo trimestre de 2020, a redução face ao mesmo período do ano anterior foi de 52,5%”, sublinha a Direção Regional de Estatística.

No primeiro semestre de 2020, foram registados 1.075 acidentes de viação no arquipélago com intervenção policial, tendo o número de vítimas sido de 392 (menos 246 que no mesmo semestre de 2019, significando uma redução de 38,6%).

Ao nível dos transportes marítimos, a Direção Regional de Estatística assinala que, nos primeiros seis meses do ano, entraram nos portos da região 68 navios de cruzeiro, menos 83 que em igual período do ano transato, observando-se nos passageiros em trânsito um decréscimo de 54,4%.

Por outro lado, não existiu qualquer movimento de navios de cruzeiro no porto do Funchal no segundo trimestre de 2020 devido às medidas de contenção da pandemia de covid-19.

Na linha Madeira-Porto Santo, o número de passageiros no primeiro semestre diminuiu 60,4% comparando com o mesmo período do ano anterior, fixando-se nos 58,5 mil, ao passo que, no segundo semestre, foi cerca de um terço do apurado no mesmo período de 2019.

“O movimento de mercadorias nos portos da região no semestre em referência foi de 518,4 mil toneladas, traduzindo uma variação negativa de 10,8% em comparação com o mesmo período do ano passado”, refere a Direção Regional de Estatística.

De janeiro a junho de 2020, registou-se a entrada de 314 embarcações de recreio nas marinas do arquipélago, representando um decréscimo de 54,4% em comparação com o semestre homólogo.

Nestas embarcações contabilizaram-se 731 tripulantes e passageiros (-71,0% que em igual período do ano passado), sendo que segundo trimestre de 2020, a diminuição foi ainda mais acentuada (-89,4%).

DC // MCL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS