Covid-19: Mourão promove mais de 300 testes e diz que Saúde Pública não atua com eficácia

A Câmara de Mourão promoveu hoje a realização no concelho de mais de 300 testes para a deteção do vírus da covid-19, por considerar que a Saúde Pública “não tem atuado com rapidez e eficácia”.

Covid-19: Mourão promove mais de 300 testes e diz que Saúde Pública não atua com eficácia

Covid-19: Mourão promove mais de 300 testes e diz que Saúde Pública não atua com eficácia

A Câmara de Mourão promoveu hoje a realização no concelho de mais de 300 testes para a deteção do vírus da covid-19, por considerar que a Saúde Pública “não tem atuado com rapidez e eficácia”.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o município de Mourão, no distrito de Évora, indicou que avançou com uma “testagem em massa”, que envolve um investimento “superior a 12 mil euros”, por o vírus da covid-19 estar “instalado na comunidade”.

Além disso, a autarquia alentejana alegou que a Unidade de Saúde Pública “não tem atuado com a rapidez e eficácia que a situação exige, o que poderia ter evitado o aumento de casos na comunidade”.

Contactada pela Lusa, a presidente da Câmara de Mourão, Maria Clara Safara, explicou que em causa está um surto de covid-19 detetado no final de novembro, cujo primeiro caso de infeção conhecido foi o de uma professora do agrupamento de escolas.

Nessa altura, segundo a autarca, a Proteção Civil Municipal enviou “uma listagem com cerca de 94 pessoas que deveriam ser testadas”, por terem tido contacto com casos positivos, mas “a Saúde Pública, nos estudos epidemiológicos, entendeu que não havia perigo de o surto passar para a comunidade”.

“O certo é que os casos continuaram a aumentar” e, no dia 03 deste mês, foi feita uma nova comunicação da Proteção Civil Municipal para a Saúde Pública a “reforçar que a situação estava a tornar-se crítica” no concelho, adiantou.

Maria Clara Safara assinalou que foi então pedida a realização de testes em “todos os lares, nos bombeiros, nos serviços da câmara municipal e, principalmente, na comunidade escolar”, e foi solicitado o encerramento da escola.

“Tínhamos, nessa altura, 18 casos ativos e um total acumulado de 28 casos”, referiu, acrescentando que o relatório da situação epidemiológica no concelho divulgado na quinta-feira indica a existência de 40 casos ativos e 81 acumulados.

De acordo com a presidente do município, a Proteção Civil Municipal “sempre colaborou com a Saúde Pública”, nomeadamente na formação das cadeias de contactos e do envio das listagens, uma vez que “são as próprias famílias que dão indicação” dos testes com resultado positivo.

“Ajudámos a formar essa listagem de contactos com 94 pessoas e achamos que, se certas pessoas tivessem sido testadas, talvez [o surto] não tivesse atingido esta dimensão”, afirmou.

A autarca admitiu que “pode haver falta de recurso humanos” na Unidade de Saúde Pública e que outros concelhos passam pela mesma situação, mas advertiu que as autoridades deveriam ter em conta as especificidades de cada concelho, porque “quanto menos habitantes, mais facilmente o vírus se dissemina”.

Os 306 testes previstos incluem utentes e funcionários dos lares nas freguesias da Granja e Luz, bombeiros, militares da GNR, funcionários do município e da Associação de Desenvolvimento de Mourão, e todas as pessoas da comunidade que tiveram contacto com casos positivos.

Portugal contabiliza pelo menos 5.902 mortos associados à covid-19 em 362.616 casos confirmados de infeção, segundo o mais recente boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

SYM // ROC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS