Covid-19: Moscovo e Brasília pedem remoção de entraves ao uso do Sputnik no Brasil

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, e seu homólogo russo, Sergey Lavrov, pediram hoje a remoção dos obstáculos que impedem o uso da vacina Sputnik-V contra a covid-19 no Brasil.

Covid-19: Moscovo e Brasília pedem remoção de entraves ao uso do Sputnik no Brasil

Covid-19: Moscovo e Brasília pedem remoção de entraves ao uso do Sputnik no Brasil

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, e seu homólogo russo, Sergey Lavrov, pediram hoje a remoção dos obstáculos que impedem o uso da vacina Sputnik-V contra a covid-19 no Brasil.

“Chegámos à conclusão de que devemos reunir as posições entre nossas agências reguladoras para retirar os processos atuais”, disse França numa conferência de imprensa ao lado de Lavrov realizada na Rússia.

França lembrou que o Governo brasileiro tem um compromisso com a Organização Mundial da Saúde (OMS) que determina que assim que uma vacina é aprovada pelo órgão multilateral o medicamento passa a ser autorizado no Brasil.

O representante do Governo brasileiro também disse que a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão regulador de medicamento, a aprovou o uso do Sputnik “com algumas condições”, mas frisou que representantes da Anvisa visitaram recentemente a Rússia para dirimir dúvidas pendentes.

O chefe da diplomacia brasileira destacou ainda que seu país já distribuiu mais de 360 ??milhões de doses de vacinas contra a covid-19 entre sua população.

“Grande parte dos brasileiros já foi vacinada contra o coronavírus. Além disso, uma vacina de reforço já está em andamento”, disse França, referindo-se aos 12,5% dos brasileiros que já receberam a terceira dose de imunizantes.

O ministro brasileiro agradeceu ao colega russo o apoio à candidatura do Brasil a um cargo não permanente no Conselho de Segurança da ONU, que o país sul-americano ocupará nos próximos dois anos.

“Nos anos 2022-2023 nossos países poderão trabalhar juntos pela paz mundial no Conselho de Segurança da ONU. Brasil e Rússia compartilham valores comuns como soberania, respeito ao direito internacional e à ONU, e não ingerência”, disse França.

Já Lavrov destacou que as duas partes concordaram hoje em aprofundar a parceria estratégica entre Moscou e Brasília e coordenar suas políticas no cenário internacional.

Na sua primeira visita à Rússia, França convidou Lavrov a viajar para o Brasil, convite que o chefe da diplomacia russa aceitou.

No final do encontro, os ministros das Relações Exteriores do Brasil e da Rússia assinaram um acordo de consulta política.

O Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19 com mais de 614 mil mortos e pelo menos 22 milhões de casos confirmados da doença.

A covid-19 provocou pelo menos 5.206.370 mortes em todo o mundo, entre mais de 261,49 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul, tendo sido identificados, até ao momento, 13 casos desta nova estirpe em Portugal.

CYR // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS