Covid-19: Moçambique lança inquérito sero-epidemiológico na província de Tete

O Ministério da Saúde (Misau) moçambicano lançou hoje um inquérito sero-epidemiológico na província de Tete, centro de Moçambique, um processo orçado em 42 mil euros e que vai abranger cinco mil pessoas em 11 dias.

Covid-19: Moçambique lança inquérito sero-epidemiológico na província de Tete

Covid-19: Moçambique lança inquérito sero-epidemiológico na província de Tete

O Ministério da Saúde (Misau) moçambicano lançou hoje um inquérito sero-epidemiológico na província de Tete, centro de Moçambique, um processo orçado em 42 mil euros e que vai abranger cinco mil pessoas em 11 dias.

O objetivo é “tentar verificar as faixas etárias mais afetadas”, disse Jaime Mário, coordenador do Núcleo Provincial de Pesquisas em Tete, citado hoje pela Agência de Informação de Moçambique.

O inquérito visa ainda colher dados epidemiológicos sobre a exposição da covid-19 para identificar as áreas de maior transmissão e também de grupos de profissionais mais afetados, acrescentou.

Com o custo de 42 mil euros, o inquérito vai abranger todos os bairros residenciais de Tete.

“Serão abrangidos grupos específicos, como os profissionais de saúde, trabalhadores do Aeroporto, coveiros, transportadores, entre outros”, referiu.

A escolha da cidade de Tete é baseada numa das orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), tendo em conta que a província está “exposta a propagação” devido a mobilidade populacional nas fronteiras com Maláui, Zâmbia e Zimbabué.

“Estão garantidos os recursos humanos, materiais, financeiros e técnicos, estamos a falar de profissionais de saúde qualificados para fazer a colheita de sangue para a testagem de covid-19”, acrescentou Jaime Mário.

Moçambique registou 23 óbitos, 3.821 casos e 2.100 pessoas recuperadas da covi-19, segundo os dados oficiais.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 847.071 mortos e infetou mais de 25,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

RYR // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS