Covid-19: Moçambique inicia administração de segunda dose de vacina na quarta-feira

Moçambique anunciou para quarta-feira o arranque da administração da segunda dose da vacina contra o novo coronavírus, no âmbito da campanha de vacinação massiva que decorre no país, disse hoje fonte do Ministério da Saúde.

Covid-19: Moçambique inicia administração de segunda dose de vacina na quarta-feira

Covid-19: Moçambique inicia administração de segunda dose de vacina na quarta-feira

Moçambique anunciou para quarta-feira o arranque da administração da segunda dose da vacina contra o novo coronavírus, no âmbito da campanha de vacinação massiva que decorre no país, disse hoje fonte do Ministério da Saúde.

“Assim, a partir de quarta-feira, 25 de agosto, começam a apanhar a segunda dose da vacina contra a covid-19 todas as pessoas a quem foram administradas a vacina [chinesa] VeroCell”, disse Benigna Matsinhe, diretora adjunta de Saúde Pública, durante a conferência de atualização de dados sobre a doença.

A campanha de vacinação em massa contra a covid-19 foi lançada em 06 de agosto pelo Presidente moçambicano, Filipe Nyusi.

O processo de vacinação contra a covid-19 arrancou em março em Moçambique, abrangendo grupos prioritários, entre os quais os profissionais de saúde, agentes da polícia e diabéticos.

Segundo Benigna Matsinhe, passam 21 dias desde a imunização com a primeira dose da vacina, pelo que apela para que as pessoas que a receberam “verifiquem nos seus cartões [de vacinação] a data indicada para apanharem a segunda dose”.

“Lembramos que os que receberam a vacina da Johnson, esta é de dose única e por si só já está garantida a imunidade e, por isso, estão fora do grupo das pessoas que devem receber a segunda dose”, acrescentou a responsável.

O Governo pretende inocular cerca de 17 milhões de pessoas com mais de 15 anos, até ao final de 2022.

Desde o anúncio do primeiro caso em março do ano passado, Moçambique contabiliza 1.808 óbitos e 143.127 casos positivos, dos quais 88% recuperados da doença.

A covid-19 provocou pelo menos 4.430.846 mortes em todo o mundo, entre mais de 211,7 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

LYN // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS