Covid-19: Mercados e unidades de saúde mais expostos em cidade do sul de Moçambique

Os vendedores de mercado e os profissionais de saúde são os mais expostos ao novo coronavírus na cidade de Xai-Xai, capital provincial de Gaza, sul de Moçambique.

Covid-19: Mercados e unidades de saúde mais expostos em cidade do sul de Moçambique

Covid-19: Mercados e unidades de saúde mais expostos em cidade do sul de Moçambique

Os vendedores de mercado e os profissionais de saúde são os mais expostos ao novo coronavírus na cidade de Xai-Xai, capital provincial de Gaza, sul de Moçambique.

Maputo, 08 dez 2020 (Lusa) – Os vendedores de mercado e os profissionais de saúde são os mais expostos ao novo coronavírus na cidade de Xai-Xai, capital provincial de Gaza, sul de Moçambique, indica um inquérito sero-epidemiológico divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Saúde moçambicano.

Segundo o documento foram inquiridas um total de 6.270 pessoas, sendo os vendedores de mercados os que apresentam a maior taxa de exposição, com 5,9%, seguidos dos profissionais de saúde, com 5,7%.

O inquérito foi realizado em simultâneo em Chokwé, na mesma província.

Nesta cidade, os transportadores e elementos das Forças de Defesa e Segurança apresentam a maior taxa de exposição, com 16,1% e 10,4%, respetivamente.

Todas as faixas etárias estão expostas nas duas cidades, mas o contacto com o novo coronavírus “é maior em adultos e idosos na cidade de Xai-Xai e em crianças e adolescentes na cidade de Chokwé”, referiu o documento.

As autoridades de saúde já realizaram inquéritos sero-epidemiológico em 11 cidades do país para avaliar as estratégias de prevenção e gestão da epidemia.

A província de Gaza tem um cumulativo de 541 casos, do total de 16.373 registados no país, desde o anúncio do primeiro em 22 de março.

No total nacional há ainda 136 óbitos, quatro dos quais naquela província.

O total nacional de casos recuperados é de 14.437 pessoas (88% do total), 489 dos quais em Gaza (90% dos casos).

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.545.320 mortos resultantes de mais de 67 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LYN // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS