Covid-19: Mais de 51,5 milhões de infetados no mundo desde início da pandemia

Pelo menos 51.531.660 pessoas foram infetadas em todo o mundo com o novo coronavírus desde que este foi identificado em dezembro na China – balanço diário da agência France-Presse.

Covid-19: Mais de 51,5 milhões de infetados no mundo desde início da pandemia

Covid-19: Mais de 51,5 milhões de infetados no mundo desde início da pandemia

Pelo menos 51.531.660 pessoas foram infetadas em todo o mundo com o novo coronavírus desde que este foi identificado em dezembro na China – balanço diário da agência France-Presse.

Paris, 11 nov 2020 (Lusa) — Pelo menos 51.531.660 pessoas foram infetadas em todo o mundo com o novo coronavírus desde que este foi identificado em dezembro na China, indicou hoje o balanço diário divulgado pela agência France-Presse (AFP).

O número de mortes associadas à doença covid-19 no mesmo período foi de 1.275.113 e pelo menos 33.300.900 pessoas foram dadas, até à data, como curadas, de acordo com os dados reunidos pela agência internacional.

Só nas últimas 24 horas, a AFP apontou que foram contabilizados 10.776 óbitos relacionados com o novo coronavírus (SARS-Cov-2) e 662.214 novos casos de infeção foram diagnosticados em todo o mundo.

A AFP sublinha que o número de casos diagnosticados só reflete, contudo, uma fração do número real de infeções.

Alguns países só testam os casos graves, outros utilizam os testes sobretudo para rastreamento e muitos países pobres dispõem de limitadas capacidades de despistagem.

Os países que registaram mais mortes no último dia foram, e de acordo com os respetivos balanços, os Estados Unidos da América (EUA) com 1.535 óbitos, a França com 1.220 (número que reflete contagem em dias anteriores de vítimas mortais em lares e residências seniores só hoje contabilizados) e o Reino Unido (707).

Os Estados Unidos são o país mais afetado, tanto em número de mortos como de casos, com um total de 239.695 mortos entre 10.258.090 casos recenseados, segundo o balanço da universidade norte-americana Johns Hopkins.

No mesmo país, pelo menos 3.961.873 pessoas foram declaradas como curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 162.829 mortos em 5.700.044 casos, a Índia com 127.571 mortos (8.636.011 casos), o México com 95.842 mortos (978.531 casos) e o Reino Unido com 49.770 mortos (1.233.775 casos).

Ainda entre os países mais afetados, a Bélgica é o que conta com mais mortos em relação à sua população, com 117 óbitos por cada 100.000 habitantes, seguido pelo Peru (106), Espanha (85) e Brasil (77).

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau) declarou um total de 86.267 casos (22 nas últimas 24 horas), bem como 4.634 mortes (nenhuma no último dia) e 81.187 recuperações.

Por regiões, a América Latina e as Caraíbas totalizavam até hoje (às 12:00 hora de Lisboa) 415.23 mortes em 11.731.619 casos de infeção, a Europa 317.525 mortes (13.339.600 casos), os Estados Unidos e o Canadá 250.317 mortes (10.529.759 casos), a Ásia 178.782 mortes (11.187.597 casos), o Médio Oriente 66.350 mortes (2.805.533 casos), a África 45.962 mortes (1.907.595 casos) e a Oceânia 941 mortes (29.962 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Devido a correções feitas pelas autoridades ou a notificações tardias, o aumento dos números diários pode não corresponder exatamente aos dados publicados no dia anterior, segundo referiu a AFP.

SCA // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS