Covid-19: Mais 23.754 pessoas com reforço da vacina na quarta-feira

Mais 23.754 pessoas levaram na quarta-feira o reforço da vacinação contra a covid-19, elevando o total para 5.759.386, informou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Covid-19: Mais 23.754 pessoas com reforço da vacina na quarta-feira

Covid-19: Mais 23.754 pessoas com reforço da vacina na quarta-feira

Mais 23.754 pessoas levaram na quarta-feira o reforço da vacinação contra a covid-19, elevando o total para 5.759.386, informou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Mais 23.754 pessoas levaram na quarta-feira o reforço da vacinação contra a covid-19, elevando o total para 5.759.386, informou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS). \Segundo o boletim diário da DGS, relativo a quarta-feira, a dose para reforçar a imunização contra o coronavírus SARS-CoV-2 já foi administrada a 620.249 idosos com 80 ou mais anos, que representam 94% deste escalão etário, assim como a 931.150 entre os 70 e os 79 anos (97%).

De acordo com os dados hoje divulgados, 1.134.696 pessoas entre os 60 e 69 anos (90%), 1.120.548 entre os 50 e 59 anos (79%), 946.919 entre os 40 e 49 anos (64%), 547.389 entre os 30 e 39 anos (38%) e 458.434 entre os 18 e os 29 anos (37%) também já tomaram a dose de reforço.

Com a vacinação primária completa estão agora 80.161 (mais sete) crianças entre os 5 e os 11 anos e 327.938 (mais 13)já receberam a primeira dose, indica a DGS. No total 8.883.614 pessoas (mais 1.913 na quarta-feira) já completaram a vacinação primária em Portugal desde que arrancou o plano de imunização contra a covid-19, em 27 de dezembro de 2020, e 2.592.224 (mais 960) já tomaram a vacina contra a gripe sazonal.

A covid-19 provocou pelo menos 5.848.104 mortos em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse. Em Portugal, desde março de 2020, morreram 20.708 pessoas e foram contabilizados 3.148.387 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China. A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante no mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS