Covid-19: Macau perde 22,6% de visitantes numa semana e reforça restrições fronteiriças

Macau perdeu 22,6% de visitantes numa semana e anunciou hoje o reforço das restrições fronteiriças com a China continental, exigindo quarentena de 14 dias a quem chegar de alguns distritos das cidades de Cantão e de Foshan.

Covid-19: Macau perde 22,6% de visitantes numa semana e reforça restrições fronteiriças

Covid-19: Macau perde 22,6% de visitantes numa semana e reforça restrições fronteiriças

Macau perdeu 22,6% de visitantes numa semana e anunciou hoje o reforço das restrições fronteiriças com a China continental, exigindo quarentena de 14 dias a quem chegar de alguns distritos das cidades de Cantão e de Foshan.

O registo de casos na vizinha província de Guangdong está a traduzir-se numa diminuição no número de visitantes na capital mundial do jogo, com as autoridades a admitirem na conferência de imprensa de hoje que podem vir a endurecer as medidas.

Para já determinaram a obrigatoriedade de apresentação de um teste à covid-19 negativo realizado até 48 horas antes da entrada no território, a partir desta terça-feira, a todos aqueles que pretendam entrar no território oriundos da província de Guangdong.

Os residentes de Macau que “que não consigam apresentar um relatório válido do teste negativo de ácido nucleico, serão submetidos imediatamente a um teste devendo aguardar no local pelo resultado do teste”. E os não residentes incapazes de apresentar um teste com resultado negativo serão impedidos de entrar no território.

Por outro lado, todos aqueles que nos 14 dias anteriores à entrada em Macau tenham estado no distrito de Liwan, Haizhu, Yuexiu, Panyu, Nansha (da cidade de Cantão) ou nos distritos de Nanhai e Chancheng (da cidade de Foshan), também da província de Guangdong, serão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

As autoridades admitiram que, dependendo do desenvolvimento da situação em Guangdong, pode vir a ser obrigatória não só a apresentação do teste negativo realizado até 48 horas antes da chegada a Macau, mas também um certificado de vacinação contra a covid-19.

Macau identificou apenas 51 casos desde o início da pandemia e não registou qualquer morte por covid-19. Nenhum profissional de saúde foi infetado e não foi detetado qualquer surto comunitário.

A taxa de vacinação ronda atualmente os 20%, tendo sido administrada a mais de 132 mil pessoas pelo menos uma dose da vacina.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.723.381 mortos no mundo, resultantes de mais de 172 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

JMC // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS