Covid-19: Macau levanta quarentena a prefeituras chinesas de Kizilsu Kirgiz e Kashgar

As autoridades de Macau anunciaram hoje que vão levantar a quarentena obrigatória de 14 dias às pessoas provenientes das prefeituras chinesas de Kashgar e de Kizilsu Kirgiz, na província de Xinjiang.

Covid-19: Macau levanta quarentena a prefeituras chinesas de Kizilsu Kirgiz e Kashgar

Covid-19: Macau levanta quarentena a prefeituras chinesas de Kizilsu Kirgiz e Kashgar

As autoridades de Macau anunciaram hoje que vão levantar a quarentena obrigatória de 14 dias às pessoas provenientes das prefeituras chinesas de Kashgar e de Kizilsu Kirgiz, na província de Xinjiang.

Em comunicado, o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus justificou o levantamento das restrições, em vigor desde 02 de novembro, com os desenvolvimentos do controlo da pandemia naquelas regiões.

A decisão entra em vigor a partir das 00:00 de 25 de novembro, data a partir da qual as pessoas que queiram entrar no território e tenham estado naquelas prefeituras nos 14 dias anteriores deixam de ser obrigadas ao chamado período de observação médica durante 14 dias.

A quarentena tinha sido imposta no início deste mês, depois de terem sido “encontradas 15 pessoas assintomáticas e infetadas nos cantões de Karekaiqike e de Pilal, do distrito de Akto da prefeitura autónoma de Kizilsu Kirgiz”, no noroeste da China, indicou então o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

Macau foi dos primeiros territórios a ser atingido pela pandemia, no final de janeiro, tendo registado 46 casos. Atualmente, não tem nenhum caso ativo.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.388.590 mortos resultantes de mais de 58,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.971 pessoas dos 264.802 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PTA/CZL (JMC) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS