Covid-19: Lar no Montijo regista “mais de 2.200 visitas” através da ‘Box’ das Emoções

A ‘Box’ das Emoções, projeto do lar Montepio, no Montijo, que permitiu há um ano o reencontro dos idosos com os familiares no contexto da pandemia e que continua hoje em funcionamento, proporcionou já mais de 2.200 visitas.

Covid-19: Lar no Montijo regista

Covid-19: Lar no Montijo regista “mais de 2.200 visitas” através da ‘Box’ das Emoções

A ‘Box’ das Emoções, projeto do lar Montepio, no Montijo, que permitiu há um ano o reencontro dos idosos com os familiares no contexto da pandemia e que continua hoje em funcionamento, proporcionou já mais de 2.200 visitas.

A ‘Box’ das Emoções, projeto do lar Montepio, no Montijo, que permitiu há um ano o reencontro dos idosos com os familiares no contexto da pandemia e que continua hoje em funcionamento, proporcionou já mais de 2.200 visitas.

Com uma cabine instalada à entrada da instituição, com um vidro que separa e impede o contacto físico entre utentes e familiares, mas que permite um olhar próximo, ao vivo e a cores, os primeiros reencontros no lar Montepio, da União Mutualista Nossa Senhora da Conceição (UMNSC), no Montijo, distrito de Setúbal, aconteceram em 03 de maio de 2020, data em que se celebrou o Dia da Mãe, após cerca de dois meses de isolamento devido à covid-19, em que as visitas nos lares estavam proibidas pelas autoridades de saúde.

“Se não tivesse o vidro, dava-lhe o beijinho do costume. Assim, atiro-o”, disse Rosália Ferreira, há um ano, aquando do primeiro reencontro com a mãe a viver no lar.

No próximo domingo, 02 de maio, Dia da Mãe, a instituição assinala um ano desde que colocou em funcionamento a “Box” das Emoções, fazendo um balanço positivo do projeto, que “permitiu concretizar mais de 2.200 visitas” e que se tornou numa “opção adequada e fiável”, que ainda hoje é utilizada diariamente no lar Montepio, “continuando a ser amplamente aprovada por utentes e familiares”.

“Pioneira e rotulada de completamente inovadora, não só a nível nacional, mas também internacionalmente, a solução encontrada pela UMNSC veio interromper a ausência de contacto próximo entre familiares e utentes que puderam, através da “Box” das Emoções, voltar a manter visitas regulares num ambiente de total segurança e privacidade familiar”, avançou a UMNSC, num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a instituição, o reconhecimento do caráter inovador da solução foi global, em que a ‘Box’ das Emoções “foi noticiada em mais de 35 países e em vários continentes”.

Além disso, o projeto foi distinguido com uma menção honrosa nos “Prémios Saúde Sustentável, edição especial 2020 — Boas Práticas em contexto de Covid-19”.

No momento da inauguração do projeto, o presidente do Conselho de Administração do lar Montepio, Pedro Santos, explicou que a ‘Box’ pretende “quebrar o gelo das emoções gerado com a proibição das visitas”, acrescentando que, apesar dos contactos por telefone, “o aspeto emocional de ver e sentir estava a faltar”.

“A ‘Box’ das Emoções consiste numa sala amovível que foi acoplada ao edifício do lar da UMNSC e que permite receber condigna e confortavelmente todos os que visitam os utentes, mantendo-os separados por um vidro com menos de um centímetro, presencialmente, cara a cara, mas evitando a interação entre o exterior e o interior do lar, garantindo a segurança dos mais idosos, público mais fragilizado e de maior risco face à pandemia”, explicitou a instituição.

Com o objetivo de se afirmar cada vez mais presente na comunidade, além da inovação, a UMNSC abraçou o desafio da qualidade e “conseguiu tornar-se um caso único, ao ser a primeira mutualista a nível nacional a obter a certificação de qualidade em todas as valências desenvolvidas, que vão da infância ao idoso, da educação à saúde, passando pelo apoio social”.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.152.646 mortos no mundo, resultantes de mais de 149,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.973 pessoas dos 835.563 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS