Covid-19: Itália ultrapassa 7.000 novos casos e regista 30 mortes

A Itália registou 7.270 novos casos de covid-19 e 30 mortes em 24 horas, anunciou hoje o Ministério da Saúde, uma semana após a introdução do certificado em locais de lazer e restauração.

Covid-19: Itália ultrapassa 7.000 novos casos e regista 30 mortes

Covid-19: Itália ultrapassa 7.000 novos casos e regista 30 mortes

A Itália registou 7.270 novos casos de covid-19 e 30 mortes em 24 horas, anunciou hoje o Ministério da Saúde, uma semana após a introdução do certificado em locais de lazer e restauração.

Desde o início da pandemia em Itália em fevereiro de 2020, foram infetadas 4.420.429 pessoas no país, dos quais 128.334 perderam a vida.

Por outro lado, a pressão nos hospitais continua a aumentar: dos 121.285 contagiados no país, a grande maioria está em casa com sintomas leves ou sem sintomas, enquanto 3.327 estão hospitalizados, mais 42 do que na véspera.

Desses, 352 pacientes estão internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UC), mais 15.

Em relação à campanha de vacinação, mais de 35,1 milhões de pessoas em Itália receberam as duas doses da vacina, ou seja, 65,04% do total da população com mais de 12 anos.

Desde há uma semana, o certificado sanitário — que mostra se o portador foi vacinado, superou a doença ou fez um teste negativo – é pedido em certos âmbitos.

O documento, conhecido como “Green Pass” (“Passe verde”, em inglês), é obrigatório no país para consumo dentro de bares e restaurantes, assim como para entrar em museus, teatros, cinemas, ginásios ou grandes eventos, designadamente espetáculos.

A medida vai ser estendida, a partir de setembro, para os professores e estudantes universitários, enquanto acelera a campanha de vacinação dos jovens entre os 12 e os 18 anos, assim como em alguns meios de transporte de longa distância.

A covid-19 provocou pelo menos 4.323.957 mortes em todo o mundo, entre mais de 204,7 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

AXYG // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS