Covid-19: Iraque recebe 1,2 milhões de doses de vacina da Pfizer através da Covax

O Iraque anunciou hoje ter recebido 1,2 milhões de doses da vacina da Pfizer contra o coronavírus SARS-CoV-2, como parte do programa de ajuda internacional Covax, num momento em que o país receia uma quarta vaga da epidemia.

Covid-19: Iraque recebe 1,2 milhões de doses de vacina da Pfizer através da Covax

Covid-19: Iraque recebe 1,2 milhões de doses de vacina da Pfizer através da Covax

O Iraque anunciou hoje ter recebido 1,2 milhões de doses da vacina da Pfizer contra o coronavírus SARS-CoV-2, como parte do programa de ajuda internacional Covax, num momento em que o país receia uma quarta vaga da epidemia.

No Iraque, a maioria da população continua cética em relação às vacinas, pelo que apenas cerca de sete milhões de pessoas, o que corresponde a 17% da população estimada de 40 milhões de iraquianos, foram inoculadas com uma ou duas doses, segundo os números mais recentes do Ministério da Saúde do país.

O sistema de saúde, fragilizado por anos de corrupção, conflitos e negligência, luta para fazer face à crescente epidemia.

Numa declaração emitida hoje, o Ministério da Saúde anunciou “a chegada de um novo carregamento de vacinas anticoagulantes da Pfizer, através do Programa Covax e da Unicef” (Fundo das Nações Unidas para a Infância), que inclui mais de 1,2 milhões de doses.

A iniciativa Covax é uma parceria público-privada entre a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Vaccine Alliance (Gavi) e a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (Cepi) para ajudar os países mais pobres a ter acesso à vacina.

Na quinta-feira, durante uma entrevista à televisão estatal, o porta-voz do Ministério da Saúde, Saif al-Badr, alertou que “o Iraque ainda enfrenta o perigo da pandemia do coronavírus”.

“Estamos à espera de entrar numa quarta vaga, e que pode ser com uma nova variante”, acrescentou.

Mais de dois milhões de pessoas foram infetadas e 23.628 morreram no Iraque desde o início da pandemia, de acordo com números oficiais.

Contudo, o elevado nível de desconfiança em relação às instituições e a circulação de informações falsas têm incapacitado o Governo de mitigar o ceticismo geral em relação à vacina e às medidas de prevenção, apesar de ter havido um aumento do número de pessoas a recorrer aos centros de vacinação.

Dois incêndios em unidades dedicadas à covid-19 de um hospital em Bagdade, em abril (que fez mais de 80 mortos) e em Nassiriya, em julho (com 60 mortos), ilustraram a desordem do sistema hospitalar e alimentaram a raiva da população.

No dia a dia, medidas de prevenção como o uso de máscara e o distanciamento físico são muito pouco respeitados pelos iraquianos.

AL // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS