Covid-19: Ilha de São Miguel com novas restrições a partir de hoje

A ilha de São Miguel, a mais afetada nos Açores pela pandemia de covid-19, passa a partir de hoje a ter recolher obrigatório às 20:00 durante a semana e serão implementadas duas cercas sanitárias.

Covid-19: Ilha de São Miguel com novas restrições a partir de hoje

Covid-19: Ilha de São Miguel com novas restrições a partir de hoje

A ilha de São Miguel, a mais afetada nos Açores pela pandemia de covid-19, passa a partir de hoje a ter recolher obrigatório às 20:00 durante a semana e serão implementadas duas cercas sanitárias.

Desde o dia 08, data em que começaram a ser aplicadas medidas mais restritivas em São Miguel, estava em vigor na ilha o recolher obrigatório às 23:00 nos dias úteis (hora que será agora antecipada para as 20:00), além do fecho das escolas e de alterações nos horários do comércio.

Aos sábados e domingos, a proibição de circulação na via pública é a partir das 15:00, tendo já sido implementada no fim de semana passado.

O recolher obrigatório, que irá manter-se enquanto vigorar o estado de emergência decretado para o país, até 31 de janeiro, termina sempre às 05:00 do dia seguinte.

Estão previstas várias exceções à proibição de circulação na via pública, como deslocações por motivos de saúde, para o trabalho e para a compra de bens essenciais.

O novo diploma do Governo Regional determina ainda o encerramento de ginásios, piscinas cobertas, casinos e estabelecimentos de jogos em toda a ilha de São Miguel.

Também a partir de hoje serão implementadas cercas sanitárias nas freguesias micaelenses de Rabo de Peixe (Ribeira Grande) e Ponta Garça (Vila Franca do Campo).

Com a implementação das cercas, que vigorarão até 22 de janeiro, fica proibida a circulação e permanência na via pública e é determinado o encerramento dos estabelecimentos de ensino, de restauração, bebidas, similares e cafés e o cancelamento de todos os eventos culturais ou de convívio social alargado.

“A avaliação que fazemos é a de que devemos renovar as medidas deste sistema pioneiro no quadro da prorrogação do estado de emergência para o país, pelo que vamos reforçar as que se justificam e nos lugares onde a transmissão é mais grave”, disse o presidente do executivo regional de coligação PSD/CDS-PP/PPM, José Manuel Bolieiro, na quarta-feira.

Defendendo que é preferível “ser excessivo na prudência do que negligente na ação”, José Manuel Bolieiro referiu que a realidade epidemiológica nos Açores “é muito específica e diferente de ilha para ilha”.

Os Açores têm atualmente com 846 casos ativos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, dos quais 806 em São Miguel, 32 na Terceira, três no Faial e cinco nas Flores.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.979.596 mortos resultantes de mais de 92,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.384 pessoas dos 517.806 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS