Covid-19: Hospital de Penafiel com vários profissionais infetados – administração

Colaboradores de vários grupos profissionais do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel, estão infetados com o novo coronavírus, disse hoje a administração daquela unidade, recusando que esteja em causa o funcionamento do hospital.

Covid-19: Hospital de Penafiel com vários profissionais infetados - administração

Covid-19: Hospital de Penafiel com vários profissionais infetados – administração

Colaboradores de vários grupos profissionais do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, em Penafiel, estão infetados com o novo coronavírus, disse hoje a administração daquela unidade, recusando que esteja em causa o funcionamento do hospital.

“Tal como em todos os hospitais, há profissionais infetados, de todos os grupos profissionais. Até ao momento, não está em causa o funcionamento do hospital”, lê-se num esclarecimento enviado à Lusa.

Um colaborador do CHTS ouvido hoje pela Lusa relatou uma situação de “grande dificuldade” no hospital de Penafiel, incluindo na urgência, onde os doentes aguardam horas para serem atendidos, devido à insuficiência de profissionais.

“A situação está caótica, com os corredores cheios de doentes”, contou.

No esclarecimento do CHTS, que não responde à questão da Lusa sobre o número de profissionais infetados naquela unidade hospitalar, assinala-se que as dificuldades ocorrem devido à ausência de vários colaboradores.

Isto, acrescenta, “seja porque estão contaminados, seja porque estão de quarentena, por alguns contactos de risco com outras pessoas contaminadas”.

Sobre a questão na urgência, refere-se que “a grande causa de dificuldade de gestão do serviço, na atualidade, prende-se com o enorme afluxo inadequado de utentes somente com o objetivo de fazerem o teste”.

Segundo o CHTS, “essa afluência tem inclusivamente ultrapassado os picos máximos habituais em tempo de gripe”.

O esclarecimento enviado à Lusa realça um apelo à população para que “só vá à urgência por motivos graves”.

“A realização de testes deve ser feita por contacto com a linha SNS 24 ou com os médicos de família. As idas à urgência nesta altura, por motivos inapropriados, são totalmente desaconselhadas, até porque origina excessiva aglomeração, potenciadora de indesejáveis contaminações”, conclui o CHTS.

Em Portugal, morreram 2.213 pessoas dos 103.736 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

APM // ACG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS