Covid-19: Hospitais em rutura temem “pior cenário”

Com o Norte já na linha vermelha, com 91% das camas de Cuidados Intensivos ocupadas, hospitais temem rutura dentro de cinco dias, com mais 605 doentes de covid-19 em situação grave.

Covid-19: Hospitais em rutura temem “pior cenário”

Covid-19: Hospitais em rutura temem “pior cenário”

Com o Norte já na linha vermelha, com 91% das camas de Cuidados Intensivos ocupadas, hospitais temem rutura dentro de cinco dias, com mais 605 doentes de covid-19 em situação grave.

Há cada vez mais hospitais portugueses em situação de rutura ou de pré-rutura no tratamento de pacientes de covid-19. “O pior cenário será no final desta semana”, avança Eduardo Castela, presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, no momento em que se espera haver 605 doentes internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). O cenário não é exclusivo nacional, havendo preocupação idêntica um pouco por toda a Europa.

LEIA DEPOIS
Trio de mulheres carteiristas arrecada 23 mil euros com furtos a idosas

Daqui a cinco dias haverá mais 179 doentes de covid-19 em risco de vida

Deste modo, no espaço de cinco dias haverá mais 179 camas com doentes em risco de vida, o que equivale a um crescimento de 42% face aos 426 internados no domingo e ontem divulgados no Boletim Epidemiológico ontem enviado às redações pela Direção-Geral da Saúde. No Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra estão internadas 83 pessoas na enfermaria dedicada à covid-19, havendo apenas sete camas disponíveis. O Hospital de Viseu também foi obrigado a alargar a capacidade de internamento, mas faltam condições logísticas para colocar dedicar mais camas a estes doentes. Nas UCI há nove pessoas ligadas às máquinas e só há mais uma vaga disponível.

LEIA TAMBÉM
PSP esfaqueado por namorar filha menor de agressor

Ocupação de UCI no Norte a 91% da capacidade, avisa bastonário dos médicos

No Hospital Sousa Martins, na Guarda, é repete-se o cenário o do hospital de Viseu. A Norte, a situação é pior. O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, sublinha que a média de ocupação das UCI está nos 91%, tendo-se ultrapassado a linha vermelha para o exercício médico. “Hospital de Penafiel e o S. João, no Porto, Gaia/Espinho e Guimarães são os mais problemáticos”, afirma.

LEIA AGORA
Emigrante português assassinado por dívidas em negócio de drogas

Impala Instagram


RELACIONADOS