Covid-19: Guiné-Bissau regista mais nove casos e aumenta total para 2.542

A Guiné-Bissau registou segunda-feira mais nove casos de infeção pelo novo coronavírus e aumentou o número de casos ativos no país para 71, anunciou hoje o Alto Comissariado para a Covid-19.

Covid-19: Guiné-Bissau regista mais nove casos e aumenta total para 2.542

Covid-19: Guiné-Bissau regista mais nove casos e aumenta total para 2.542

A Guiné-Bissau registou segunda-feira mais nove casos de infeção pelo novo coronavírus e aumentou o número de casos ativos no país para 71, anunciou hoje o Alto Comissariado para a Covid-19.

Segundo dados divulgados no boletim diário, na rede social Facebook, na segunda-feira foram detetados mais nove casos positivos.

O boletim diário indica também que há 71 casos ativos no país.

O registo de recuperados manteve o total de 2.420 e o número de vítimas mortais mantém-se em 45.

A Guiné-Bissau, segundo os dados, regista um total acumulado de 2.542 casos desde que foram detetadas as primeiras infeções por covid-19 no país, em março de 2020.

Na sequência do aumento de casos que se tem registado desde o início do ano no país, o Governo guineense decidiu decretar o estado de calamidade até 23 de fevereiro, encerrar os estabelecimentos escolares até à mesma data e cancelar as celebrações do carnaval.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.140.687 mortos resultantes de mais de 99,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

África registou nas últimas 24 horas mais 605 mortes por covid-19 para um total de 85.883 óbitos, e 17.195 novos casos de infeção, segundo os últimos dados oficiais da pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de infetados é de 3.455.328 e o de recuperados nos 55 Estados-membros da organização nas últimas 24 horas foi de 27.567, para um total de 2.930.863 desde o início da pandemia.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

MSE // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS