Covid-19: Governo timorense inicia na próxima semana campanha de testes em massa

As autoridades de saúde timorenses iniciam na próxima segunda-feira a primeira campanha de testes em massa à covid-19, prevendo ao longo de duas semanas recolher cerca de 3.500 amostras, disse hoje fonte oficial.

Covid-19: Governo timorense inicia na próxima semana campanha de testes em massa

Covid-19: Governo timorense inicia na próxima semana campanha de testes em massa

As autoridades de saúde timorenses iniciam na próxima segunda-feira a primeira campanha de testes em massa à covid-19, prevendo ao longo de duas semanas recolher cerca de 3.500 amostras, disse hoje fonte oficial.

Nilton do Carmo da Silva, um dos coordenadores da equipa da covid-19 do Ministério da Saúde, disse aos jornalistas que o programa de testes em massa vai arrancar em Díli, durante sete dias, sendo alargado nos sete dias seguintes a outros municípios, especialmente na zona da fronteira.

“O objetivo dos testes em massa é de detetar eventuais casos que possa haver de transmissão comunitária”, referiu.

Desde o início da pandemia Timor-Leste registou apenas casos importados ou de contágios em quarentena ou em tratamento a doentes infetados, não havendo ainda situações de transmissão comunitária entre os 52 casos confirmados.

Odete da Silva Viegas, coordenadora geral da comissão responsável pelo combate à covid-19, explicou à Lusa que a campanha de testes prevê a recolha diária de 250 amostras para um total de 3.500 testes.

A campanha vai começar em Díli no dia 25 de janeiro, com testes no Ministério da Saúde, seguindo-se o centro de Díli, Universidades, lojas e mercados.

A partir de 07 de fevereiro as equipas de vigilância começam a recolha nos municípios de Maliana e Suai, os mais próximos da fronteira com a Indonésia.

Na mesma conferência de imprensa, Nilton da Silva anunciou que dois doentes infetados recuperaram: um homem de 33 anos que tinha viajado do Paquistão e outro que viajou do Reino Unido e que estavam ambos em isolamento desde 27 de dezembro.

Atualmente, há ainda cinco doentes infetados (entre eles um médico), todos no centro de isolamento de Vera Cruz, em Díli, com cerca de 200 pessoas em quarentena e autoquarentena em Díli e nos municípios, estando 300 pessoas ainda à espera de conhecer o resultado aos seus testes.

Desde o início da pandemia Timor-Leste já realizou mais de 18 mil testes, tendo mais de 7.330 pessoas completado períodos de quarentena no país.

A região fronteiriça com a metade indonésia da ilha continua a ser a de maior preocupação para as autoridades timorenses, especialmente por se repetirem casos de pessoas que atravessam ilegalmente a fronteira, tendo já sido detetados pacientes infetados entre algumas dessas pessoas.

Essa situação levou mesmo à imposição de uma cerca sanitária no enclave de Oecusse-Ambeno, entretanto já levantada.

Dezenas de timorenses estão também em Timor Ocidental à espera de poder entrar em Timor-Leste, com as fronteiras terrestres fechadas pelo menos até ao final do atual estado de emergência — o novo desde o início da pandemia — no início de fevereiro.

A preocupação sobre a subida do número de casos em Timor Ocidental aumentou depois de a imprensa regional indonésia referir que pelo menos duas pessoas morreram na última semana vítimas da covid-19 em Atambua.

No caso da província indonésia de Nusa Tenggara Timur, que inclui a metade indonésia da ilha de Timor, os dados mais recentes referem ter-se registado até ao momento 2.167 casos confirmados, com 50 mortes e 1.202 recuperados.

Em concreto, no distrito de Belu — que engloba Atambua — os dados do Governo provincial referem haver atualmente 18 casos ativos, quatro prováveis e sete suspeitos, estando a ser seguidos mais 35 casos de contactos.

 

ASP // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS