Covid-19: Governo moçambicano lança iniciativas culturais na Internet para apoiar artistas

A ministra da Cultura e Turismo lançou hoje o projeto “Arte no Quintal”, iniciativa que visa a transmissão de concertos e programas culturais via Internet, para reduzir o impacto do novo coronavírus no setor cultural de Moçambique.

Covid-19: Governo moçambicano lança iniciativas culturais na Internet para apoiar artistas

Covid-19: Governo moçambicano lança iniciativas culturais na Internet para apoiar artistas

A ministra da Cultura e Turismo lançou hoje o projeto “Arte no Quintal”, iniciativa que visa a transmissão de concertos e programas culturais via Internet, para reduzir o impacto do novo coronavírus no setor cultural de Moçambique.

“Queremos com esta iniciativa minimizar o impacto negativo da covid-19 na área da cultura e despertar um movimento solidário de apoio a todos os afetados por este vírus”, disse a ministra Eldevina Materula, no lançamento da iniciativa em Maputo.

A iniciativa resulta de uma parceria entre o Ministério da Cultura e Turismo, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o banco Absa Moçambique, a empresa Moçambique Telecom (Tmcel) e a galeria do Porto de Maputo.

O “Arte no Quintal” é uma alternativa de apoio aos artistas, uma vez que devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus não podem continuar com o mesmo ritmo de produtividade, acrescentou a governante.

“Pretende-se dotar os fazedores das artes de meios alternativos para enfrentar a pandemia, encontrando nessa iniciativa alguma remuneração”, explicou a ministra.

As diferentes manifestações artísticas, entre as quais música, comédia, literatura, artes plásticas e cinema, vão ser transmitidas aos finais de semana, através das plataformas Facebook, Youtube e Instagram, envolvendo artistas de todo o país.

“Para reforçar a transmissão, estamos neste momento a desenvolver um aplicativo ‘mobile’ que poderá ser acedido mediante uma subscrição”, avançou Materula.

Na primeira fase, que começa no dia 16, serão realizados 12 concertos e programas, envolvendo 150 pessoas, entre artistas e técnicos de produção, mediante a observância das medidas de segurança e de prevenção contra a covid-19.

“Queremos produzir concertos em que o espetador sinta a emoção de estar no local, apostamos em banda, luz e todos os componentes que transmitem a emoção de um concerto presencial”, acrescentou Eldevina Materula.

Além do trabalho dos artistas, o projeto vai promover mensagens de prevenção do novo coronavírus.

Moçambique regista um total acumulado de 91 casos positivos de covid-19, sem registo de vítimas mortais.

O país vive em estado de emergência desde 01 de abril e até final de maio, com espaços de diversão e lazer encerrados, proibição de todo o tipo de eventos e de aglomerações, recomendando-se a toda a população que fique em casa, se não tiver motivos de trabalho ou outros essenciais para tratar.

Durante o mesmo período, há limitação de lotação nos transportes coletivos com obrigatoriedade do uso de máscaras, as escolas estão encerradas e a emissão de vistos para entrar no país está suspensa.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 280 mil mortos e infetou mais de quatro milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,3 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

EYAC // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS