Covid-19: Fim de máscaras e certificados é “vitória” para Cabo Verde

O diretor nacional de Saúde de Cabo Verde considerou hoje que o alívio das medidas de proteção da covid-19 é uma “vitória” para o país, esperando que seja uma “lição” para futuras emergências de saúde pública.

Covid-19: Fim de máscaras e certificados é

Covid-19: Fim de máscaras e certificados é “vitória” para Cabo Verde

O diretor nacional de Saúde de Cabo Verde considerou hoje que o alívio das medidas de proteção da covid-19 é uma “vitória” para o país, esperando que seja uma “lição” para futuras emergências de saúde pública.

“Eu penso que é uma vitória para o mundo, embora ainda as condições sejam diferentes de país para país. Com todas as medidas que foram implementadas, com todos os recursos que foram colocados à disposição, eu penso que é mais uma vitória”, considerou Jorge Noel Barreto, em entrevista á agência Lusa, na cidade da Praia.

Desde quinta-feira que o uso de máscaras em estabelecimentos e transportes públicos e a apresentação de testes e certificados de covid-19 deixaram de ser obrigatórios em Cabo Verde, que terminou também a situação de alerta.

Para o diretor nacional de Saúde, o estado que o país chegou atualmente mais de dois anos e meio depois dever servir para tirar ilações para futuras doenças de saúde pública.

“Convém que sirva de lição em relação a medidas de prevenção, hábitos saudáveis de vida, as pessoas ouvirem às autoridades, acatarem as orientações de saúde para que possamos viver cada vez mais saudáveis e estarmos mais bem preparados para futuras emergências de saúde pública”, defendeu.

Na resolução, o Governo justificou o alívio das medidas que ainda estavam em vigor com a “evolução bastante satisfatória” da situação epidemiológica nos diferentes concelhos do país.

Jorge Barreto disse que há muitas semanas que Cabo Verde não tem tido mais de 10 casos de novas infeções por dia, não há pessoas internadas com sintomas graves, nem mortes provocadas pela doença.

Mas sublinhou que a resolução prevê que o uso de máscaras, que passou a ser uma recomendação de saúde pública, continua a ser obrigatório nos estabelecimentos de saúde, nos centros de dia e lares de idosos.

O mesmo responsável aconselhou ainda as pessoas a continuarem a tomar as doses de vacinas. “Nós estamos assim porque a nossa taxa de cobertura vacinal é muito alta e a vacina já deu provas suficientes que é uma ferramenta importante para o controlo desta doença”.

Por isso, apelou a quem ainda não tomou a vacina para ir fazê-lo, alertando que a pandemia ainda não acabou e a doença não vai desaparecer, embora a Organização Mundial da Saúde (OMS) já perspetiva o seu fim no mundo.

“As pessoas continuam vulneráveis, sobretudo aquelas que ainda não tomaram a vacina e pode ser que tenham a infelicidade de ter covid e alguma complicação. Portanto, convém não baixar a guarda em termos de vacinação”, insistiu o responsável de saúde cabo-verdiano.

Em Cabo Verde, mais de 84% do total da população residente com idade igual ou superior a 12 anos já se encontra vacinada com duas doses da vacina contra a covid-19 e a dose adicional de reforço já foi administrada a mais de 36% dos adultos.

Em março deixou de ser obrigatório a utilização de máscara na via pública e no final de abril também em espaços fechados, com exceção de hospitais, farmácias ou transportes públicos.

“Para as viagens internacionais com origem em Cabo Verde, a exigência de certificados covid-19 ou de teste depende das orientações das autoridades sanitárias dos países de destino”, determinou-se na resolução

Desde o início da pandemia, Cabo Verde já registou um total de 62.350 casos positivos acumulados de covid-19, dos quais 61.869 casos recuperados, 410 óbitos e tem neste momento apenas 16 casos ativos de infeção.

RIPE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS