Covid-19: Faculdades da Universidade do Porto com novas medidas para retoma da atividade

A realização de exames ‘online’, suspensão das aulas clínicas e medição da temperatura à entrada, são algumas das medidas delineadas pelas 14 faculdades da Universidade do Porto que, na generalidade, seguem as recomendações da reitoria para retomar as atividades.

Covid-19: Faculdades da Universidade do Porto com novas medidas para retoma da atividade

Covid-19: Faculdades da Universidade do Porto com novas medidas para retoma da atividade

A realização de exames ‘online’, suspensão das aulas clínicas e medição da temperatura à entrada, são algumas das medidas delineadas pelas 14 faculdades da Universidade do Porto que, na generalidade, seguem as recomendações da reitoria para retomar as atividades.

Numa mensagem à comunidade académica, o reitor da Universidade do Porto afirmava, no final de abril, que com o levantamento do Estado de Emergência, a prioridade era o “restabelecimento das atividades de investigação e dos serviços de apoio aos estudantes”.

Desde então, as 14 faculdades têm vindo a reajustar os seus planos, sendo que a maioria já delineou as principais medidas.

Numa nota partilhada no seu ‘site’, a Faculdade de Arquitetura adianta que a reabertura será a partir do dia 18 de maio e que, além do uso obrigatório de máscaras, será feita a “medição da temperatura da comunidade académica [sem o registo de dados] no ponto de entrada para as instalações”.

Todas as atividades curriculares “devem decorrer” à distância e os testes ou exames de recurso podem ser realizados presencialmente de 29 de junho a 01 de julho, desde que em anfiteatros ou salas de grande dimensão.

Também a Faculdade de Belas Artes dá nota, numa publicação no seu ‘site’, que continuará com a modalidade de ensino à distância, mas que até ao dia 29 de maio, as atividades dos ateliês e das oficinas vão arrancar gradualmente.

A época normal de exames para os alunos de artes, que decorre de 01 a 05 de junho, será “preferencialmente ‘online'”.  

Por forma a seguir as recomendações, a Faculdade de Letras “aconselhou os docentes a privilegiarem a avaliação distribuída (contínua) sem exame final”, lê-se também numa publicação no seu ‘site’.

O uso obrigatório de máscara é uma das medidas do plano da Faculdade de Psicologia, que reabre no dia 11 de maio e que recomenda a utilização dos espaços “unicamente” para as tarefas necessárias.

A solução encontrada pela Faculdade de Direito, que reabriu na segunda-feira, assenta na realização de exames ‘online’ à distância e por consulta. Caso tal não seja possível, os exames podem, mediante justificação, ser realizados presencialmente.

Se na área das humanidades, os planos variam, o mesmo se verifica, na área das matemáticas, ciências e engenharias.

A Faculdade de Economia não prevê a retoma de aulas presenciais, no entanto, os exames serão todos presenciais, salvo se o número de estudantes inscritos for demasiado elevado. Aí, serão adotadas modalidades de avaliação à distância.

Já a Faculdade de Ciências, que reabriu na segunda-feira, está a preparar a retoma gradual das aulas presenciais e laboratoriais, sendo que a capacidade destes espaços foi adaptada e reduzida a um terço do habitual.

A Faculdade de Nutrição, que retoma “brevemente” as atividades, prevê manter o ensino à distância e realizar exames presenciais em apenas 16 unidades curriculares.

Na Faculdade de Farmácia não estão previstas aulas presenciais, nem exames, sendo que a faculdade está a equacionar a criação de atividades complementares de formação laboratorial.

Também a Faculdade de Engenharia não equaciona a retoma de aulas presenciais, à exceção das aulas laboratoriais que “não possam ser realizadas à distância no âmbito de projetos de investigação ou estágios”.

Os exames presenciais decorrem de 15 de junho a 24 de julho e para os estudantes com estatutos especiais, as provas serão entre o dia 18 de maio e 09 de junho.

Já a Faculdade de Desporto mantém o ensino à distância até ao final de maio, sendo que 10 unidades curriculares deverão ter aulas presenciais em junho. As avaliações serão marcadas num pavilhão preparado com o devido distanciamento e medidas de higienização.

A Faculdade de Medicina Dentária, que reabre no dia 12 de maio, prevê avaliações entre junho e julho, à distância e presenciais.

A Faculdade de Medicina, única unidade orgânica que partilha instalações com um hospital, mantém suspenso o ensino clínico e apenas algumas atividades laboratoriais vão ser retomadas.

Com o calendário de exames a ser definido, a faculdade está a estudar os espaços que cumpram o distanciamento social, segurança e higiene.  

Por sua vez, o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), que retoma atividade no dia 11 de maio, vai optar pelo regime de ensino à distância e o modelo de avaliação distribuída sem exame final ou com o exame final à distância.

Apesar de diferentes planos, todas as faculdades da Universidade do Porto vão providenciar à comunidade académica o material de proteção individual necessário, sendo que também todas garantem que o plano está sujeito a alterações e reajustes.

 

SPYC//

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS