Covid-19: Especialistas recomendam 80% de vacinados no Rio de Janeiro para o Carnaval em 2022

Taxas de 80% das pessoas vacinadas e de apenas 5% de testes positivos para a covid-19 estão entre as principais recomendações listadas numa nota técnica divulgada hoje sobre a realização do Carnaval na cidade brasileira do Rio de Janeiro em 2022.

Covid-19: Especialistas recomendam 80% de vacinados no Rio de Janeiro para o Carnaval em 2022

Covid-19: Especialistas recomendam 80% de vacinados no Rio de Janeiro para o Carnaval em 2022

Taxas de 80% das pessoas vacinadas e de apenas 5% de testes positivos para a covid-19 estão entre as principais recomendações listadas numa nota técnica divulgada hoje sobre a realização do Carnaval na cidade brasileira do Rio de Janeiro em 2022.

O documento, formulado pela Fundação Oswaldo Cruz e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) a pedido da Comissão Especial de Carnaval da Câmara dos vereadores do Rio, apontou cinco indicadores para a realização do Carnaval, uma das datas mais importantes para a economia local e que, antes da pandemia, atraía milhares de turistas.

“Recomendamos a taxa de vacinação acima de 80%, levando em consideração a variante Delta, cuja transmissão pode afetar até 10 pessoas. Essa é uma fórmula de imunidade que a epidemiologia usa, e trata-se de uma percentagem mais conservadora”, afirmaram Hermano Castro, pneumologista da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, e Roberto Medronho, professor titular de Epidemiologia da Faculdade de Medicina da UFRJ, autores da nota técnica.

“Atualmente, o único indicador que ainda não alcançamos foi o da vacinação, mas são valores totalmente possíveis de atingirmos, desde que não haja a interrupção da vacina”, acrescentaram os especialistas num comunicado distribuído.

O Brasil já superou mais de 100 milhões de pessoas totalmente vacinadas, numa população total de 213 milhões de habitantes, dado que indica que 47% dos brasileiros já completou o esquema vacinal.

Ao todo 150 milhões tomaram pelo menos uma dose de imunizantes, o que representa 70,63% da população.

O documento também reforçou a importância da adoção de protocolos rígidos elaborados pelas autoridades baseados em informações científicas recentes, a exigência do passaporte vacinal em espaços fechados e para a hospedagem, controlo de fronteiras aéreas e terrestres e garantia de trabalho seguro nos barracões [áreas de trabalho das escolas de samba] para os colaboradores das agremiações e a construção de mecanismos públicos para o monitoramento dos indicadores ao longo de todo o processo.

A nota técnica destacou ainda que sociedade deve discutir qual risco deseja assumir com a realização do evento e “essa discussão transcende em muito os dados quantitativos oferecidos pelos indicadores. Ela é essencialmente ética.”

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo ao contabilizar 602.099 vítimas mortais e mais de 21,6 milhões de casos confirmados de covid-19.

A covid-19 provocou pelo menos 4.878.719 mortes em todo o mundo, entre mais de 239 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 na China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

CYR // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS