Covid-19: Equipas da Câmara de Lisboa e área da saúde voltam a visitar todas as escolas públicas

Equipas da Câmara e da área da saúde vão voltar a visitar todas as escolas públicas da cidade a partir de quarta-feira para “traçar novas estratégias de proteção” devido à covid-19.

Covid-19: Equipas da Câmara de Lisboa e área da saúde voltam a visitar todas as escolas públicas

Covid-19: Equipas da Câmara de Lisboa e área da saúde voltam a visitar todas as escolas públicas

Equipas da Câmara e da área da saúde vão voltar a visitar todas as escolas públicas da cidade a partir de quarta-feira para “traçar novas estratégias de proteção” devido à covid-19.

Segundo disse à Lusa hoje fonte do gabinete do vereador responsável pelo pelouro da Educação, Manuel Grilo (BE, partido que tem um acordo de governação da cidade com o PS), nas visitas estarão presentes os delegados de saúde locais, proteção civil e serviços de educação.

“O objetivo será traçar novas estratégias de proteção com os agrupamentos de escolas e com todas as entidades intervenientes nas escolas, como as CAF [Complemento Apoio à Família] e as AEC [Atividades Extra-Curriculares])”, referiu a mesma fonte.

Em junho, já tinham sido realizadas visitas aos jardins de infância e escolas do 1.º ciclo e, durante o mês de agosto, realizaram-se vistorias em todas as escolas do 2.º e 3.º ciclos e do ensino secundário.

Numa reunião do executivo camarário realizada no final de julho, o vereador com o pelouro da Educação adiantou que as vistorias tinham como objetivo a verificação do cumprimento dos planos de contingência, a retificação de quaisquer irregularidades, como salas de isolamento em locais errados, e o mau funcionamento de equipamento essencial.

Relativamente ao funcionamento dos refeitórios escolares, Manuel Grilo admitiu na altura que as normas que foram definidas são “particularmente exigentes” e que esses equipamentos “dificilmente poderão funcionar tal qual funcionaram em anos anteriores”.

Hoje, as aulas do 1.º ciclo da Escola Básica das Laranjeiras foram suspensas devido à falta de funcionários em número suficiente, já que um destes testou positivo para a covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 961.531 mortos e mais de 31,1 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.920 pessoas dos 69.200 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

               

VAM (JRS) // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS