Covid-19: Decisão da DGS sobre vacinação de maiores de 12 anos foi “puramente técnica”, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, assegurou hoje que a decisão da Direção-Geral da Saúde sobre a vacinação universal dos jovens a partir dos 12 anos foi “puramente técnica”

Covid-19: Decisão da DGS sobre vacinação de maiores de 12 anos foi

Covid-19: Decisão da DGS sobre vacinação de maiores de 12 anos foi “puramente técnica”, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, assegurou hoje que a decisão da Direção-Geral da Saúde sobre a vacinação universal dos jovens a partir dos 12 anos foi “puramente técnica”

O primeiro-ministro, António Costa, assegurou hoje que a decisão da Direção-Geral da Saúde sobre a vacinação universal dos jovens a partir dos 12 anos foi “puramente técnica”, defendendo que o Governo apenas se preparou antecipadamente para isso. A DGS recomendou na terça-feira a vacinação universal das crianças e jovens entre os 12 e os 15 anos, deixando assim de ficar circunscrita a situações específicas, como os casos em que têm doenças de risco.

“Obviamente, as decisões da DGS são puramente técnicas e nesta matéria cada um fez aquilo que lhe competia”, assegurou António Costa, que falava aos jornalistas no final do briefing operacional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, Oeiras.

No entender do chefe do Governo, a DGS “utilizou o tempo que entendeu ser necessário para ter uma informação cientifica suficientemente sólida” e, enquanto isso, o executivo e a ‘task-force’ responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19 preparam-se.

“A ‘task-force’ e o Governo fizeram também o que lhes competia, ou seja, termos tudo preparado para quando viesse a decisão final da DGS poder agir em conformidade”, explicou.

Rejeitando a ideia de que esse trabalho tenha servido como uma espécie de pressão política, António Costa defendeu ainda que agora a sociedade e as famílias têm uma “confiança acrescida”. A DGS começou por publicar uma norma sobre a vacinação de adolescentes dos 12 aos 15 anos com doenças de risco, tendo os saudáveis que pretendessem vacinar-se que obter uma declaração médica e aguardar pela calendarização da ‘task force’. Tanto o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, como o coordenador da ‘task force’ do plano de vacinação contra a covid-19, Gouveia e Melo, defenderam a importância de vacinar os jovens a partir dos 12 anos.

 

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS