Covid-19: Casos positivos no Centro da Força Aérea da Ota sobem para 19

O surto de infeção pelo novo coronavirus no Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea Portuguesa da Ota (Alenquer) subiu de 16 para 19 militares infetados, informou hoje fonte da Força Aérea Portuguesa à agência Lusa.

Covid-19: Casos positivos no Centro da Força Aérea da Ota sobem para 19

Covid-19: Casos positivos no Centro da Força Aérea da Ota sobem para 19

O surto de infeção pelo novo coronavirus no Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea Portuguesa da Ota (Alenquer) subiu de 16 para 19 militares infetados, informou hoje fonte da Força Aérea Portuguesa à agência Lusa.

O tenente-coronel Manuel Costa, responsável pelas Relações Públicas da FAP, disse à agência Lusa que 19 militares estão infetados, depois de divulgados os resultados a todos os testes de diagnóstico efetuados.

Os 19 casos positivos encontram-se a cumprir isolamento profilático nas suas residências.

Num universo de meio milhar de pessoas da base área da Ota, entre militares e alunos, 70 estão em isolamento profilático, por contactos mantidos com os infetados.

A mesma fonte adiantou que “a situação está controlada”.

O Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea Portuguesa da Ota (Alenquer), no distrito de Lisboa, “continua a operar”, mantendo todas as funções relacionadas com a segurança aérea e as aulas presenciais, explicou o porta-voz.

Contudo, por haver perto de uma centena de pessoas em isolamento profilático, “há turmas a ter aulas à distância”.

Os primeiros casos positivos foram detetados no final da semana passada, o que motivou a realização de testes nos últimos dias.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e um mil mortos e mais de 37,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.110 pessoas dos 89.121 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

FCC (SYL) // SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS