Covid-19: Câmara vai lançar nova fase do Lisboa Protege para apoiar retoma do comércio

A Câmara Municipal de Lisboa vai lançar uma terceira fase do programa Lisboa Protege, destinada às empresas do comércio e restauração que necessitam de apoio à retoma da atividade, anunciou hoje o presidente da autarquia, Fernando Medina.

Covid-19: Câmara vai lançar nova fase do Lisboa Protege para apoiar retoma do comércio

Covid-19: Câmara vai lançar nova fase do Lisboa Protege para apoiar retoma do comércio

A Câmara Municipal de Lisboa vai lançar uma terceira fase do programa Lisboa Protege, destinada às empresas do comércio e restauração que necessitam de apoio à retoma da atividade, anunciou hoje o presidente da autarquia, Fernando Medina.

A Câmara Municipal de Lisboa vai lançar uma terceira fase do programa Lisboa Protege, destinada às empresas do comércio e restauração que necessitam de apoio à retoma da atividade, anunciou hoje o presidente da autarquia, Fernando Medina.

“Nós aprovaremos nas próximas semanas, em Câmara, que depois vai ser aprovado em Assembleia, uma terceira tranche do Lisboa Protege. Uma terceira tranche que, de forma simples e desburocratizada, chegue às empresas, chegue às entidades, porque sabemos que este processo de retoma gradual está a ser particularmente difícil e particularmente exigente para muitas empresas do comércio e da restauração”, adiantou o autarca.

Falando na sessão plenária da Assembleia Municipal de Lisboa, o presidente da Câmara salientou que muitas empresas estão atualmente perante uma situação em que a procura “significativamente abaixo” da habitual antes da pandemia pode “pôr mesmo em risco a vida da empresa”.

“Não esqueçamos que Lisboa é uma cidade que recebia um fluxo diário de pessoas antes da pandemia, pelo menos de dimensão igual à sua população residente, e o facto de estarmos numa época e num momento em que os níveis de confinamento ainda são significativos, em que muitas atividades continuam em teletrabalho, significa que há hoje menos pessoas a circular, mesmo com as regras a serem levantadas”, referiu.

O município vai, por isso, propor uma nova fase do Lisboa Protege “precisamente para apoiar aquelas empresas do comércio, da restauração, que lidam hoje com a necessidade de ter um apoio à retoma, isto é, de um apoio que permita apoiar o acréscimo de custos”, reforçou Fernando Medina (PS).

No período de apresentação da informação escrita do presidente, o autarca avançou também que o PS vai levar a reunião de Câmara “uma nova medida no âmbito do subsídio municipal do arrendamento” para as “pessoas que possam ficar numa situação difícil, temporariamente, pelo fim das moratórias ao crédito à habitação”.

Fazendo um balanço das duas fases anteriores do Programa Lisboa Protege, Fernando Medina indicou que os apoios a fundo perdido abrangeram “4.098 entidades que já receberam o valor da primeira tranche” e “3.581 que já receberam o valor da segunda tranche, no valor total de pagamentos já efetuados de 22 milhões de euros”.

Relativamente ao programa de testagem massiva à covid-19 na cidade, o presidente da Câmara de Lisboa adiantou que foram realizados nas farmácias da capital “mais de sete mil teste”.

O autarca recordou também que está em curso uma “operação regular de testagem a cerca de seis mil trabalhadores da Câmara de Lisboa e das empresas municipais”.

Sobre a vacinação contra a covid-19, referiu que estão atualmente a funcionar oito centros de administração de vacinas, que asseguram que o processo decorre “de forma eficaz” e têm “dado a resposta que se exige”.

Quanto ao transporte dos cidadãos para os centros de vacinação através de táxi, garantido pelo município, indicou que o serviço foi utilizado “por mais de 10 mil pessoas”.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.122.150 mortos no mundo, resultantes de mais de 147,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.970 pessoas dos 834.991 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS