Covid-19: Brasil deixa de exigir teste negativo para entrar no país a vacinados

O Governo brasileiro decidiu deixar de exigir a apresentação de um teste negativo à covid-19 com antecedência de 72 horas para quem chegue ao país, desde que tenha certificado de vacinação.

Covid-19: Brasil deixa de exigir teste negativo para entrar no país a vacinados

Covid-19: Brasil deixa de exigir teste negativo para entrar no país a vacinados

O Governo brasileiro decidiu deixar de exigir a apresentação de um teste negativo à covid-19 com antecedência de 72 horas para quem chegue ao país, desde que tenha certificado de vacinação.

O Governo brasileiro decidiu hoje deixar de exigir a apresentação de um teste negativo à covid-19 com antecedência de 72 horas para cidadãos, nacionais ou estrangeiros, que cheguem ao país e passará a validar só o certificado de vacinação.

Brasileiros não tiram máscara por politização e receio de associação a Bolsonaro
Analistas afirmam que a politização da pandemia e receio de ser identificado como apoiante de Jair Bolsonaro faz com que muitos brasileiros continuem a utilizar a máscara (… continue a ler aqui)

Numa resolução dos ministérios da Casa Civil, Saúde, Justiça e Infraestruturas, publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira à noite, a partir de hoje o documento válido para entrar no Brasil é o certificado impresso ou digital do ciclo completo de vacinação com mais de 14 dias. A Declaração de Saúde do Viajante, formulário que era exigido pelas companhias aéreas antes de embarcar num voo para o Brasil, também deixará de ser exigida.

O resultado negativo de um teste por técnica de biologia molecular PCR-RT ou de antigénio só será necessário para pessoas que não tenham um ciclo de vacinação completo de duas doses ou uma dose única no caso da vacina da Janssen. As regras valem para quem pretende entrar no Brasil por via aérea, terrestre e marítima.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já tinha emitido um parecer a favor da não exigência do teste PCR-RT para quem tivesse a vacinação completa. A entidade reguladora afirmou numa declaração que a prova de vacinação emitida exclusivamente por codificação digital deixará de ser aceite e que o período de quarentena estabelecido antes da resolução interministerial deixará de ser necessário.

O Brasil, um dos três países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus em números absolutos, juntamente com os Estados Unidos da América e a Índia, tem quase 30 milhões de casos confirmados e na sexta-feira ultrapassou as 660.000 mortes associadas à covid-19. A nação conseguiu vacinar com duas doses de vacinas 70,9% dos seus 213 milhões de habitantes.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS