Covid-19: Brasil aproxima-se de 9,6 milhões de casos após 51.486 infeções em 24 horas

O Brasil contabilizou 51.486 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, aproximando-se de um total de 9,6 milhões de casos (9.599.565) desde o início da pandemia.

Covid-19: Brasil aproxima-se de 9,6 milhões de casos após 51.486 infeções em 24 horas

Covid-19: Brasil aproxima-se de 9,6 milhões de casos após 51.486 infeções em 24 horas

O Brasil contabilizou 51.486 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, aproximando-se de um total de 9,6 milhões de casos (9.599.565) desde o início da pandemia.

Brasília, 09 fev 2021 (Lusa) – O Brasil contabilizou 51.486 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, aproximando-se de um total de 9,6 milhões de casos (9.599.565) desde o início da pandemia, informou hoje o executivo.

Em relação ao número de mortes, foram registados 1.350 óbitos entre segunda-feira e hoje, elevando o total para 233.520 vítimas mortais, segundo dados do Ministério da Saúde local.

A taxa de letalidade da covid-19 em território brasileiro está fixada em 2,4% e a taxa de incidência aumentou hoje para 111 mortes e 4.568 casos por 100 mil habitantes.

Geograficamente, os estados que concentram maior número de infeções são São Paulo (1.864.977), Minas Gerais (780.187), Bahia (613.339) e Santa Catarina (598.737).

Já as unidades federativas com mais óbitos são São Paulo (55.087), seguido pelo Rio de Janeiro (30.792), Minas Gerais (15.990) e Rio Grande do Sul (11.115).

No momento, 842.583 pacientes infetados estão sob acompanhamento médico no Brasil, enquanto que 8.523.462 cidadãos já recuperaram da covid-19 no país sul-americano.

As vacinas contra a covid-19 adquiridas pelo Brasil através do mecanismo de acesso global Covax Facility não precisarão de registo ou autorização para uso de emergência no país, informou hoje a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa, órgão regulador brasileiro), frisando que a medida procura agilizar o processo de distribuição e aplicação de vacinas no país.

Para isso, a Anvisa vai simplificar os atuais processos regulatórios para garantir que os imunizantes estejam disponíveis no menor tempo possível, mantendo a qualidade, segurança e eficácia para a população brasileira.

De acordo com o órgão regulador, a medida evitará uma dupla revisão dos antídotos do Covax Facility, que já passaram por uma avaliação regulatória equivalente à realizada pela Anvisa.

A dispensa de registo e autorização de uso de emergência das vacinas Covax Facility foi possível porque o consórcio internacional emprega uma avaliação regulatória equivalente à do Brasil e vários especialistas da Anvisa estão entre os responsáveis pela análise dos estudos e dados necessários para a aprovação do antídoto.

Até ao momento, o Brasil tem previstas 354 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para 2021, das quais 42,5 milhões correspondem a imunizantes do consórcio Covax Facility.

Desde que o país sul-americano iniciou a vacinação contra o novo coronavírus, em 17 de janeiro, 3,8 milhões de doses foram aplicadas em todo o país.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.325.744 mortos no mundo, resultantes de mais de 106,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

MYMM // JLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS